O relacionamento esfriou: Como salvar seu casamento

Perpetuar paixão e amor pelo outro é o desafio de qualquer casamento. Então, mãos ? obra!


Fernanda Ferrari Trida

Era uma vez dois homens. Ambos se casaram com boas mulheres, afetuosas e caridosas que os amavam mais que a si mesmas. O primeiro era uma pessoa positiva e otimista, capaz de reconhecer suas fraquezas e sempre procurava se corrigir. O segundo parou o pensamento em suas próprias limitações.

Com o passar dos anos, o relacionamento do primeiro casal amadurecia e os dois conseguiam solucionar suas desavenças utilizando a ferramenta mais sábia de todas: a palavra. Porém, o segundo casal parecia estar se distanciando por voltar seu pensamento aos problemas e obrigações cotidianas. Acreditavam que seu amor não era mais o suficiente para levar o relacionamento adiante. Decidiram então se separar.

Algum tempo depois, tanto o homem quanto a mulher perceberam que os obstáculos que a vida sempre lhes impôs ainda continuavam a existir. Mesmo estando longe um do outro, nada havia melhorado. Porém, acreditavam ser tarde para retomarem o casamento.

Existir implica em ultrapassar obstáculos, por maiores que sejam. Se você escolheu uma pessoa para transpô-los junto com você, pegue em sua mão e sinta a força que vocês dois têm quando unidos. Não permita que as dificuldades esfriem a relação.

1. Não perturbe. Tranquilize

Quando nosso cônjuge compartilha um problema conosco, está pedindo nossos ouvidos e coração. Devemos estar presentes para ajudar. Se não temos palavras sábias naquele momento, calemo-nos.

2. Não grite. Converse

A troca de ideias despidas de preconceitos, imposições e ordens é o alimento do casamento. Explodir em momentos críticos é afastar o outro. Conversar é trazê-lo para perto.

3. Não critique. Auxilie

Quando nosso cônjuge pede nossa opinião sobre um assunto que está lhe causando estresse, não podemos criticar suas atitudes e seu modo de ver as coisas. Mas, podemos oferecer um caminho alternativo para a solução da situação.

Advertisement

4. Não fira. Balsamize

O amor é como um bálsamo. Se o sentimos dentro de nós, somos capazes de ofertá-lo a outra pessoa. Com isso, a unidade do casal é perpetuada. Contudo, se nos mostramos indisponíveis, o casamento estará em perigo.

5. Não se queixe. Compreenda

Não cubra seu cônjuge com reclamações, negatividade e pessimismo. Problemas são comuns a todos os seres humanos, casados e solteiros. O que muda de uma pessoa para outra é a forma com a qual vai lidar com eles. Tenha a segurança necessária para compreender o outro em vez de apontar o dedo para suas falhas.

6. Não destrua. Edifique

Crises são comuns a todos os casamentos. Afinal, trata-se da união de duas pessoas advindas de criações diferentes, mas que desejam se equilibrar para ser uma família feliz. Não destrua seu casamento por causa de contratempos, empecilhos e momentos desarmônicos. O amor não abandonou o coração de vocês. Basta se voltar para seus próprios sentimentos e encontrá-lo novamente.

Fica a dica de um ótimo livro, do qual tomei emprestadas algumas das palavras deste artigo: Respostas da Vida, de Francisco Cândido Xavier – Ed. Ideal, 1980.

Toma un momento para compartir …

Fernanda Ferrari Trida

Fernanda Trida é jornalista, médica veterinária, dona de casa, esposa, mãe de Marcela, com três anos, e de João, com um ano de idade.