O que vocês precisam saber sobre fidelidade

A fidelidade é primordial nos casamentos felizes, avaliar a sua amplitude é, pois, essencial.


Suely Buriasco

Todo mundo sabe o que é fidelidade, mas poucos param para pensar sobre a amplitude do termo. Cônjuges fiéis não traem, muito bem, mas a questão é que trair não é apenas ter um caso extraconjugal e fidelidade é muito mais que não se interessar por outra pessoa.

Leia: 10 coisas que você deveria saber antes de trair

Ser fiel

Fidelidade tem a ver com caráter, com a forma de se colocar na própria vida; é uma disposição íntima, não depende do outro porque não é pelo outro; é sempre por si mesmo. Fidelidade é um valor pessoal, embora seja um comportamento fundamental entre cônjuges não é privilégio das relações amorosas; tem a ver com a personalidade e, por isso, a pessoa fiel age com grandeza em todos os relacionamentos da sua vida. Ser fiel é, pois, uma disposição da alma que indica amadurecimento e comprometimento com a vida, as pessoas e, especialmente, consigo mesmo. Não é nada tão difícil ou extraordinário, ao contrário é de surpreendente simplicidade. Ser fiel é essencialmente estar junto, não só fisicamente, mas também emocionalmente.

Amizade e cumplicidade

Um casal fiel não é composto por seres perfeitos, mas por duas pessoas que escolhem estar juntos apesar de suas imperfeições. Li em algum lugar uma frase que dizia algo assim: A rosa e o cacto se apaixonaram; eles entendiam os seus espinhos. A fidelidade promove a compreensão do outro em suas falhas, não para errar junto, mas para ajudá-lo a se corrigir. E assim se desenvolve a cumplicidade que favorece o casal não apenas em relação ao casamento, mas em tudo na vida, pois, representa a ação do ditado: “Juntos somos mais fortes”. A amizade é um dos pilares elementares de uma união, significa conhecimento íntimo que promove segurança e confiança. Ser amigo é apoiar nas dificuldades do outro, é aparar arestas e se fazer irmão nas adversidades. É pura e simplesmente: estar ali. Amigo é acima de tudo alguém com quem se pode contar em quaisquer circunstâncias.

Parceria e união

Um casal fiel é formado por duas pessoas que se determinam em estar juntas em todas as situações, bloqueando totalmente a influência de terceiros. Um casal blindado não permite que outra pessoa perturbe a sua união, mine o entendimento, sequer se aproxime intimamente. Obviamente um casal fiel não aceita a formação de um triângulo amoroso, mais vai muito além disso, não permite que qualquer pessoa se intrometa na relação deles, mesmo os familiares mais queridos. Parceria conjugal pressupõe honra e proteção mútua, não se concebe, portanto, a aceitação de qualquer influência que possa denegrir ou prejudicar o cônjuge. Um casal unido demonstra publicamente o amor e o respeito que os une, afastando qualquer possibilidade de influência nefasta. O lema é: “Só me quer bem, quem quer bem ao meu cônjuge”.

Leia: 10 razões pelas quais nunca falarei mal do meu marido

Prosperidade

Colocando um ao outro em primeiro lugar, os cônjuges se abstêm de qualquer ato que tire a família do foco, essa postura promove a harmonia que precisam para enfrentar as adversidades e vencer os desafios. Quando o casal coloca o relacionamento como prioridade suas ações são pautadas na justiça e integridade, sempre buscando o bem-estar e a alegria no lar. Nesse sentido os cônjuges têm grande disposição para buscar meios de enriquecer a vida em todos os sentidos e a prosperidade é uma consequência natural.

Advertisement

Aprendizado

Se os cônjuges não se sentem aptos a desenvolver um relacionamento genuinamente fiel devem refletir sobre seus próprios interesses e o que esperam da vida a dois. É certo que qualquer pessoa pode desenvolver as virtudes que caracterizam a fidelidade, basta que se disponha a esse aprendizado.

Leia também: 10 maneiras de mostrar total fidelidade no casamento

Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.