O casal também precisa de um tempo para cada um a fim de fortalecer o relacionamento

Um tempo individual predeterminado semanalmente ajudará a fortalecer o relacionamento conjugal.


Michele Coronetti

É muito comum ouvir pessoas falando que após o divórcio se sentem melhores, pois encontraram um tempo para si mesmas. A introspecção e visualização de qualidades que precisam ser trabalhadas normalmente faz parte do processo de recuperação após um término de relacionamento.

Segundo especialistas em terapias de casais e pessoal, o ideal seria que as pessoas entendessem que ter um tempo para si em meio ao turbilhão de compromissos como casal e família é importante para que o relacionamento seja fortalecido. A autoimagem e o crescimento pessoal necessitam deste tempo precioso de autoavaliação e busca por objetivos.

Não é uma tarefa fácil, mas perfeitamente realizável. Algumas ideias do que fazer para conseguir um tempo a sós incluem:

1. Conversa sincera

Começar a se negar a sair com a família ou com o parceiro dizendo que é necessário passar um tempo a sós não é exatamente a melhor maneira de começar. As relações são delicadas e essa atitude pode promover a desconfiança e pensamentos negativos por parte do cônjuge. Por isso, conversar a dois e dizer que considera importante passar um tempo sozinho para refletir e buscar entendimento pessoal é fundamental. Ter a certeza de que o parceiro compreende o pedido tornará a caminhada mais fácil de ser seguida. É comum as pessoas acharem que tomar um tempo para si é um ato egoísta, por isso conversar sinceramente sobre as necessidades pessoais com o cônjuge é tão importante. Incentivar o companheiro a também dedicar um tempo para si é uma boa ideia para melhor compreensão.

2. Agendamento

Para que isso realmente funcione, é muito importante agendar. Encontrar um tempo semanalmente na agenda e marcar com antecedência é a melhor maneira de garantir que o tempo necessário estará ali como combinado. Deixar para utilizar um tempo ocioso quando ele surgir poderá obrigar a esperar por muito tempo, talvez até que os filhos cresçam e saiam de casa. A organização é a melhor amiga das coisas que dão certo.

3. Decidir o que fazer

O cônjuge entendeu e o compromisso está lá, marcado na agenda. As opções são muitas, sair com amigos, assistir uma programação aguardada, meditar, refletir, escrever em um diário, ir sozinho a um restaurante e apreciar a própria companhia pode parecer estranho no início, afinal o costume é de sempre estar rodeado de pessoas, cônjuge, filhos, parentes, amigos ou colegas de trabalho. O tempo sozinho pode trazer novidades desconhecidas e plantar o real amor próprio. Uma lista de gratidão pode ser preenchida no tempo de reflexão sem a interrupção dos entes queridos. Ela pode incluir coisas físicas bem como os sentimentos percebidos dos que estão ao redor. Metas podem ser traçadas e a concentração nas coisas positivas ajudará a manter o foco no bem-estar pessoal e familiar.

4. Retomar algo esquecido

Muitas vezes, ao iniciar um relacionamento, algo que a pessoa gostava muito de fazer fica de lado porque não agrada ao companheiro. Ter um tempo somente para si pode trazer de volta algo que é agradável e que ficou deixado de lado como dançar, ir à academia, correr ou outras coisas esquecidas com o tempo. Esse reencontro pode trazer benefícios imensuráveis.

Advertisement

5. Iniciar um projeto solo

Aquele projeto que ficou arquivado há muito tempo pode ser iniciado nesse período precioso. Aprender um instrumento musical ou alguma outra habilidade será um excelente motivacional que enriquecerá o relacionamento e trará muita satisfação para a pessoa que se empenha nessa nova caminhada.

Não importa o que for escolhido para preencher o tempo do momento a sós, seja o que for determinado trará benefícios a todos os envolvidos, aumentando o amor e respeito ao cônjuge, a alegria de estar novamente com os familiares e amigos, e o amor-próprio será renovado e fortalecido, favorecendo a todos ao redor.

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.