Mostre a Deus que você o ama

A pergunta do Senhor a Pedro: "Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes?" se aplica a todos nós. Amamos o Senhor? Como demonstrá-lo? O Senhor diz: "Apascenta as minhas ovelhas".


Stael Ferreira Pedrosa

Às margens do Mar da Galileia, após terem tentado em vão pescar por toda a noite, apóstolos entristecidos pela morte recente de Jesus encontram o Senhor ressurreto na praia e não o reconhecem. Jesus os orienta a voltarem ao mar e tentarem novamente e de outra maneira.

Mal puderam puxar a rede de tão cheia de peixes que voltou. João, o apóstolo amado, reconhece o milagre e diz a Pedro: “É o Senhor.” Pedro lançou-se imediatamente ao mar e nadou até a praia para encontrar a Jesus. Os outros o seguiram. Assaram peixes e comeram com Ele.

Depois de terem comido, Jesus perguntou a Pedro: “Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: “Apascenta os meus cordeiros”.

Novamente o Senhor pergunta a Pedro se este o ama. E novamente após a afirmativa de Pedro de que sim, ele o ama, Jesus diz: “Apascenta as minhas ovelhas”. E mais uma vez, a terceira, Jesus lhe faz a mesma pergunta e após a confissão de Pedro de que Jesus sabia todas as coisas e sabia também que Pedro o amava, o Senhor diz: “Apascenta as minhas ovelhas”. (João 21:1-17)

Jesus não pediu a Pedro que desse sua vida para provar seu amor, mas pediu-lhe que apascentasse suas ovelhas. Pedro se tornaria o pastor das ovelhas de Cristo. E cuidando destas mostraria seu amor ao Senhor.

Como podemos mostrar amor a Deus?

O próprio Senhor Jesus responde em João 14:15

“Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.”

Advertisement

Os 10 mandamentos podem ser resumidos em dois: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo teu coração […] e ao teu próximo como a ti mesmo.” (Mateus 22:37)

Amar a Deus significa guardar seus mandamentos e amar ao próximo

Há uma tendência no mundo cristão de menosprezar a obediência aos mandamentos do Senhor como algo antigo, ligado ao misticismo. A racionalização ajuda muito nesse processo:

“Não tenho tempo para visitar…”, “Eu trabalho demais…”, “Não tenho condições financeiras para ajudar a ninguém…”, “Sou imperfeito demais para seguir a Cristo…”, “Todo mundo peca…”, “Ninguém é perfeito…”, “É impossível cumprir todos os mandamentos de Deus…”, “Já tenho tantos problemas, preciso é de alguém que ME ajude…”, e assim sucessivamente.

Obviamente Deus não nos pede que cumpramos todos os mandamentos imediatamente. Ele sabe que não somos perfeitos, mas espera que pelo menos nos esforcemos para isso. O que Ele pede é que nossos corações sejam puros e cheios de amor para com Deus e toda criatura. Esse sentimento chama-se caridade e é o puro amor de Cristo. São as palavras do Senhor: “Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram”.

Obediência, caridade e empatia.

O líder religioso Thomas Monson em um de seus ensinamentos disse:

“Estamos cercados por pessoas que necessitam de nossa atenção, de nosso incentivo, apoio, consolo e de nossa bondade — sejam familiares, amigos, conhecidos ou estranhos. Somos as mãos do Senhor aqui na Terra, com o encargo de servir e edificar Seus filhos. Ele precisa de cada um de nós. (…)”

“Quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mateus 25:40).

Não há racionalização ou desculpa que cubra ou justifique o que nos é requerido: Amar, servir e obedecer.

Um pequeno gesto feito de coração vale mais que dar uma fortuna para os pobres sem real intento. Como a intenção da viúva pobre ao fazer sua oferta, tal deve ser nosso coração. Os ricos davam o que sobrava, ela, porém, deu todo seu sustento que consistia de duas moedas.

A intenção de nossos corações é maior, é o que realmente conta. Não basta dar, ou servir, ou obedecer sem real intento. É necessário que nossos corações estejam engajados totalmente nesses atos.

Advertisement

Comecemos por amar nossa família

Devemos primeiro cuidar dos nossos e em seguida estender esse amor e serviço aos outros. Parte desse cuidado é ensinar nossos filhos a seguirem a Cristo, a amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo. Devemos falar de Cristo em nossos lares, ler as escrituras e ensinar nossas crianças a amar a Deus e servir aos outros. Algumas coisas que podemos fazer são:

  • Dar exemplo – demonstrando sincero amor e reverência à divindade, sendo bondosos, corteses e solícitos com nossos filhos, cônjuges, outras pessoas e também com os animais.
  • Mostrar o caminho – Devemos deixar que nossos filhos nos vejam lendo as escrituras, orando e fazendo boas obras. E devemos ensinar-lhes sobre Cristo e o que Ele espera que façamos.
  • Experiências reais – Falar apenas não basta. Devemos proporcionar experiências reais às nossas crianças e adolescentes. Providencie para que tenham sua própria escritura sagrada, que participem em projetos de serviço, e ofereçam orações no momento das refeições ou outros.

Demonstramos amor a Deus quando nossos corações se voltam para o bem, quando refletimos a luz de Cristo e sua caridade em nossos semblantes, atos e pensamentos.

Toma un momento para compartir …

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.