Mentira tem mesmo pernas curtas?

É difícil uma mentira que um dia não seja descoberta, e mesmo que não seja descoberta, traz danos para quem mente e para quem é enganado.


Luiz Higino Polito

Primeiramente, vamos separar algumas coisas do que seja realmente “mentira” a que me refiro aqui. Mentira é o que pode causar danos, e geralmente causa, para alguém, mesmo que demore; é faltar com a verdade em coisas importantes, com adultos ou jovens, é mentir com a intenção de fazer (ou porque já fez) alguma coisa errada.

Não me refiro aqui a histórias inventadas para ninar crianças, nem coisas como dizer que Papai Noel existe. O folclore é cultura, e como tal, tem seu valor.

Mentira é fazer uma coisa e dizer que fez outra. Bem, todos sabem o que uma verdadeira mentira…

Perda de confiança

O primeiro “castigo” do mentiroso, quando descoberto, é que será muito difícil para ele recuperar a confiança perdida.

Políticos são os “mestres da mentira”, e devem ter curso intensivo para aprender a mentir tão bem, mas uma vez descoberto que mentiram, também terão suas consequências, como vemos fartamente hoje em dia, pelo mundo todo.

Quem mente uma vez, mente duas, mente três

Isso porque o mentiroso tem de mentir para manter a mentira anterior, e vai tentando esconder uma mentira com outra, sucessivamente. Um dia ele vai esquecer uma das mentiras do seu repertório e aí será desmascarado, e ficará em maus lençóis.

Uma história de minha adolescência

Quando eu tinha uns 12 anos, tínhamos um amigo metido a rico, (e ele era mesmo para nós, porque mesmo sendo ele da classe média, para muitos dos outros de nós, muito pobres, ele tinha muitas coisas que nós não tínhamos). E ele tinha mesmo tios ricos. Uma das coisas que ele gostava de contar eram histórias de seus tios. Cada história!

Advertisement

Mesmo jovens, a gente fingia que acreditava… Uma das mentiras preferidas dele era a história de que um de seus tios tinha uma espingarda especial, com o cano torto, que era para matar a onça na curva. Ele também contava que o caminhão do tio dele era tão acostumado com as viagens, que fazia as curvas da estrada de Santos sozinho.

Mentiras que destroem

As mentiras de nosso amigo não tinham nenhum efeito deletério, mas têm mentiras que realmente fazem um mal irreparável na vida de todos nós. Mentira dos governantes, por exemplo.

Tem algum governante que fala a verdade? Não sei, mas deve ter. Ou, pelo menos, devem ter os que não mentem em coisas essenciais. Mas de todo jeito, é ruim e causará danos para alguém, um dia.

Exemplos famosos de mentiras desmascaradas

Uma revista brasileira tem uma lista de mentirosos famosos, entre eles Bill Clinton (no caso Mônica Lewinsky), Nixon (no caso Watergate), e muitos outros. Tem também vários brasileiros na lista, mas vou deixar para vocês verem a matéria da revista e descobrirem sozinhos…

Numa pesquisa, citada na revista, 40% das mentiras são cometidas por telefone, e 27% “ao vivo”. 21% são feitas em mensagens eletrônicas, e 14% por e-mail.

Mentiras intoleráveis

Segundo a matéria, intolerável é a mentira “…que corrói a coesão social e abala os alicerces da vida em comunidade. É a do criminoso que mente para escapar de punições. É a do demagogo que esquece o eleitor no dia seguinte ao da eleição. É a da autoridade municipal que, para não perder o emprego, minimiza os danos de uma enchente ou a gravidade de uma epidemia de meningite”, “… os falsificadores, os inventores de esquemas de investimentos fajutos e os malandros de todos os calibres”, “… é também a do assassino que nega ter estado com a vítima no momento em que ela foi morta”.

“…A escritora e pesquisadora americana Pamela Meyer: “…Um desonesto sempre deixa marcas de sua mentira no próprio rosto, em sua fala, em seu corpo.”

Para finalizar, existem livros religiosos que dizem simplesmente que “Ficarão de fora os cães (não os animais), os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras e todo o que ama e pratica a mentira (Apocalipse 22:15)”, e que “Ai do mentiroso, porque será lançado no inferno.”

Seja como for, devemos ser cautelosos, e evitar a mentira, acreditando ou não em religião.

Mesmo porque, se você começar a mentir, poderá se tornar um péssimo hábito. E se você já está acostumado a mentir, e não vê mal nisso, e acha que as “mentiras brancas” são aceitas, tome cuidado, pois um ditado tão antigo tem lá sua verdade: “a mentira tem pernas curtas”, e dificilmente vai muito longe sem ser descoberta…

Advertisement
Toma un momento para compartir …

Luiz Higino Polito

Casado, pai de três filhos e avô de quatro netos, estudei oratória e didática. Gosto muito de escrever. Profissionalmente, sou músico e tenho um Sebo Virtual, onde vivo com minha esposa e cercado de livros!