Marido diz que esposa só sabe fazer sanduíche, então ela se vinga de maneira nada saborosa

Ele a chamava de sanduicheira. Apelidos podem até ser bobos, mas têm que ser fofos e demonstrar carinho, senão podem ser um problema...


Stael Ferreira Pedrosa

Casais gostam de criar apelidos fofos um para o outro, há quem diga que são apelidos bobos ao invés de fofos, tais como: chuchu, mozin, entre outros, usados mais pelas mulheres. Já os maridos costumam chamar suas esposas de meu bebê, meu mel, minha gata. Na verdade, um marido pode chamar a esposa disso e muito mais como: meu anjo, minha deusa, amor da minha vida, luz dos meus olhos, princesa dos meus sonhos, etc. e etc.

Agora o que um marido não pode é chamar a esposa por apelidos tais como: fofucha, bolotinha, minha velha, mãe, ou qualquer outro que faça referência à sua idade e peso, muito menos que a rotule como: cozinheira, arrumadeira ou a tia do sanduíche.

Afinal, não importa o quanto você cozinhe ou arrume ou faça sanduíches, seu papel principal na vida vai muito além de tudo isso.

Foi o que aprendeu um marido que chamou a esposa de sanduicheira. Ela não gostou, claro, e resolveu se vingar. Após ser chamada por tal apelido, o marido teve uma surpresa no dia seguinte ao morder um sanduíche de presunto e queijo preparado por ela – com o queijo ainda dentro do plástico. Ao abrir o sanduíche para ver o que se passava, ele encontrou escrito no plástico: “Não me arrependo”.

Enquanto postava as imagens de seu queijo plastificado no imgur, ele percebeu que ser rude com a esposa pode significar comer um sanduíche com um sabor bem estranho.

Com certeza esse marido pensará duas vezes antes de colocar um novo apelido na esposa.

Toma un momento para compartir …

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.