Evite preocupar-se demais. Sua saúde agradece!

Quando aprendermos a viver o dia de hoje, que é o maior e único “presente” que temos, aproveitaremos melhor a vida.


Luiz Higino Polito

Atribuída a Lao Tzu, um mítico filósofo chinês de muito tempo atrás, esta pequena poesia mostra um dos maiores problemas de nosso século: a preocupação com o passado e com o futuro:

Se você está deprimido,

Você está vivendo no passado;

Se você está ansioso,

Você está vivendo no futuro;

Se você está em paz

Você está vivendo no momento presente.”

Advertisement

Além de aumentar muito a venda de antidepressivos e ansiolíticos, e de muitos outros remédios contra a insônia, a preocupação com o que fizemos de ruim no passado e a preocupação com o futuro podem nos deixar tristes, aflitos e doentes.

Leia: 7 passos para vencer a depressão

Claro que é importante não esquecermos de nosso passado, principalmente para não repetirmos os mesmos erros (que erremos em coisas novas, pelo menos!), mas preocuparmo-nos com o passado é um “passatempo” que pode custar muito caro para a nossa saúde.

Meu avô dizia que a preocupação é como um parafuso cuja rosca não tem fim… Você fica rodando, rodando, sem sair do mesmo lugar.

Mas parar de se preocupar com o passado e não ter medo do futuro é mais fácil de falar, do que de se fazer.

E quanto àquelas dezenas de contas a pagar? E o que fazer para apagar aquele comportamento errado do passado que se deseja a todo custo esquecer, mas não se consegue?

Eu poderia citar muitos filósofos, mas agora prefiro citar alguns versos da Bíblia, porque além de nos ensinar, tais palavras proferidas por Isaías e Jesus Cristo podem também nos confortar bastante.

Leia: Rejuvenescimento espiritual: Aprender, ponderar e orar

Erros e “mancadas do passado

Isaías, um dos mais conhecidos profetas do Velho Testamento, transmite-nos as palavras do Senhor, dizendo que “Ainda que (nossos) pecados sejam vermelhos como a escarlata, eles se tornarão brancos como a pura lã” (Isaías 1:18) Certamente isso não acontecerá se ficarmos repetindo sempre os mesmos erros, mas se estamos sinceramente arrependidos deles, e não os cometermos mais, devemos ter a sabedoria de que tais mancadas e erros não devem mais ser lembrados, e nem devem mais tirar nossa paz e nosso sono.

E o futuro?

As lindas palavras de Jesus Cristo, ditas há quase 2000 anos, ainda são tão válidas hoje, como foram naquele tempo, e sempre serão válidas no futuro:

Advertisement

“…não andeis preocupados com a vossa própria vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que as roupas?

Contemplai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem armazenam em celeiros; contudo, vosso Pai celestial as sustenta. Não tendes vós muito mais valor do que as aves?

Portanto, não vos preocupeis, dizendo: Que iremos comer? Que iremos beber? Ou ainda: Com que nos vestiremos?

“Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará suas próprias preocupações.”(Mateus 6:25-26, 31, 34).

Planejamento, não preocupação

Certamente devemos planejar o nosso futuro estabelecendo nobres objetivos e termos a disposição de trabalhar duro para alcançá-los.

Preocupação, porém, não é planejamento. Preocupação é sofrer por antecipação e pode nos adoecer literalmente. Ficar com medo do futuro também de nada adiantará, porque o futuro é tão imprevisível, que já foi dito que “é sempre o inesperado que acontece”.

E o inesperado muitas vezes é recheado de coisas boas, muito melhor até do que poderíamos esperar.

E, felizmente, a grande maioria de nossas preocupações não se realiza!

Dale Carnegie, que escreveu o best-seller “Como Evitar Preocupações e Começar a Viver” nos dá alguns conselhos importantes, além de dizer para “Rezarmos”:

Mantenha-se ocupado; Não se aflija com ninharias; Utilize a lei das probabilidades para eliminar as suas preocupações; Decida quanta ansiedade uma situação merece e recuse-se a conceder-lhe mais; Não se preocupe com o passado.”

A preocupação é uma das maiores pragas de nossos tempos, e se não tomarmos cuidado, ela nos levará para pequenas ou grandes depressões, portanto, evitemos nos preocupar demais.

Nossa saúde agradece!

Toma un momento para compartir …

Luiz Higino Polito

Casado, pai de três filhos e avô de quatro netos, estudei oratória e didática. Gosto muito de escrever. Profissionalmente, sou músico e tenho um Sebo Virtual, onde vivo com minha esposa e cercado de livros!