Estas 4 coisas, que você faz sem perceber, estão destruindo seu casamento

Estes quatro comportamentos estão longe de ser inofensivos. Pelo contrário, são bem nocivos e podem arruinar seu relacionamento em pouco tempo.


Erika Strassburger

Nenhuma pessoa que ama o cônjuge faz, intencionalmente, coisas para destruir seu casamento. Às vezes ela até percebe que está errando, mas não considera seu erro “tão grave assim”. Abaixo estão 4 desses erros comuns. Veja se você pode identificar algum deles em sua conduta:

1. Atribuir rótulos negativos a seu marido ou mulher – mesmo que em pensamento

Sua mulher queixou-se novamente dos respingos de urina sobre o acento do vaso, e você diz ou pensa: “Lá vem aquela chata de novo!” ou “Que mulher mal-humorada!”. Ou seu marido reclama do valor da conta da luz ou do quanto foi gasto no mercado, e logo vem à sua mente “Homenzinho avarento!” ou “Criatura insuportável!”

Quando tachamos nosso cônjuge de algo negativo, aquele rótulo acabará se tornando uma realidade para nós à medida que o repetimos – ainda que mentalmente. Em pouco tempo, pensaremos o pior daquele que deveríamos admirar.

Portanto, se for para rotular seu marido ou mulher, que seja de “gatão”, “princesa”, “inteligente”, “carinhoso(a)” ou rótulo outro positivo.

2. Não se esforçar para ouvir atentamente

Um grande sabotador da felicidade conjugal é uma comunicação capenga. Na hora de falar, há disposição de sobra. Mas será que ambos estão tanto quanto dispostos a ouvir e, principalmente, a se esforçar para entender?

Um diálogo eficiente é uma ferramenta poderosa, fundamental para a felicidade conjugal. Mas devido a tantas distrações à nossa volta, perdemos a oportunidade de usar bem essa ferramenta. E os resultados são desastrosos: mal-entendidos, mágoas, ciúmes e brigas.

3. Condicionar sua felicidade pessoal e conjugal à próxima conquista

É impressionante como há pessoas que se tornam insatisfeitas facilmente. Estão sempre em busca daquilo que falta – geralmente em âmbito material – para se sentirem felizes e realizadas. Em pouco tempo, percebem que a “alegria” em virtude da conquista é momentânea; então, correm em busca do “algo mais” para se sentirem “felizes” novamente.

Advertisement

Elas não percebem que a felicidade nada tem a ver com “ter coisas”. A felicidade está diretamente ligada à gratidão. Enquanto não aprenderem a ser gratas pela vida que têm, pela sua família e seus (mesmo que poucos) recursos, jamais experimentarão uma felicidade genuína.

Portanto, se você condiciona a sua felicidade pessoal e conjugal a uma situação financeira melhor ou àquilo que sonha conquistar, você está não somente desperdiçando a oportunidade de ser feliz agora, mas estabelecendo um “prazo de validade” para seu casamento. Isso porque nenhum casamento em que reinam a ingratidão e a insatisfação consegue resistir por muito tempo.

4. Esquivar-se da responsabilidade por seus erros

As pessoas, em geral, têm bastante dificuldade de admitir que erraram, que poderiam ter feito as coisas de forma diferente. Preferem culpar o cônjuge, os outros, as circunstâncias.

Isso se chama orgulho, um ácido potente que corrói o amor e a admiração em pouco tempo. Se você zela pela integridade de seu casamento, trabalhe com todo afinco para eliminar o orgulho de sua vida.

Estes quatro comportamentos estão longe de ser inofensivos. Pelo contrário, são bem nocivos e podem arruinar um relacionamento em pouco tempo. Se você identificou algum deles em sua conduta, agora é a hora de se empenhar para eliminá-los. Um dos privilégios maravilhosos que a vida nos concede são oportunidades para mudar para melhor. Esta é a sua chance!

Toma un momento para compartir …

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.