Esta mãe de tempo integral é acusada, nas redes sociais, de não fazer nada e dá uma resposta fantástica

Um estranho postou um comentário acusando-a de ter uma vida boa, e ela revidou da melhor maneira possível.


Erika Strassburger

Um comentário maldoso de um internauta foi a gota d’água para Anna Strode, uma dona de casa fitness de 32 anos, mãe de gêmeos idênticos – meninos de quase dois anos, e grávida de uma menina. Ela passa o dia inteiro em função dos filhos, da casa, e ainda tira um tempo para treinar e marcar presença nas redes sociais.

Ela se exercita diariamente e compartilha fotos e vídeos dos seus treinos em sua conta do Instagram – onde acumula mais de 81 mil seguidores – mostrando que é possível se exercitar, mesmo com seus filhos à sua volta.

Até mesmo, usando-os como halteres.

Full Body Workouts with my babes ??

A post shared by Anna Strode (@bubs2bikinis) on

Advertisement

É desnecessário salientar que Anna tem um dia corrido e exaustivo, ainda mais estando grávida. Não é por que ela arranja tempo para se exercitar e compartilhar seus treinos que ela tem uma vida mansa. E sua vida não ficará mais fácil depois de sua filha nascer.

Infelizmente, não é o que todos pensam. Recentemente Anna postou a foto abaixo no Instagram, com o seguinte desabafo:

Last week someone made a comment on my page and you know what, it upset me. It cut me pretty deep and while I do my best to remain positive – this hurt. It basically said 'I wish I got to stay at home all day and exercise with my child, instead I have to go to work and do WORK…' Work?! You think I don't WORK?! You think I sit at home all day and twiddle my thumbs? You think 2 x 22 month old toddlers just let me kick my feet up all day after I've done my morning workout? You think I'm beaming with energy as I grow a new baby and frantically do my best to keep up with twin boys that run rings around me?! Just to break it down… I exercise for 20-30 minutes a day. Sometimes stopping 20 times throughout to fetch toys, bring food, stop hair pulling, break up fights over toys and some days, stopping 2 minutes in because it just ain't happening that day! Other days we're so busy or the boys are so CLINGY / CRANKY (eg: this photo sums it up) the best workout I can get in is some squats, push ups and tricep dips while they eat or while we practice new words, counting to 10 or all the body parts we've learnt. I certainly DON'T spend all day exercising. My days are spent changing shitty nappies, dealing with tantrums, playing cars and trucks, making food that gets thrown on the floor before it's even tasted, walking the streets trying to get tired, grumpy children to nap, attempting to teach two little humans to SHARE instead of bite, pull hair, scratch or push each other, pushing swings, climbing up and down bloody forts that shouldn't even be in kids playgrounds because they are so damn unsafe, singing the alphabet, going for adventures to keep the bubs happy, vacuuming 3 times a day because of all that food that I worked so hard to cook wasn't even considered eating, oh and did I mention the constant battle of playing referee ALL day between two little cheeky monkeys that guess what DON'T 'just play happily and entertain each other all day!' For the record, TWINS don't do that!!! Maybe when they're older, yes! I hope so anyway ~ but for now, no – I literally for most of the part can't take my eyes off them! Cont. in comments ??

A post shared by Anna Strode (@bubs2bikinis) on

“Na semana passada, alguém fez um comentário em minha página e, sabe, isso me deixou chateada. Isso me afetou profundamente, enquanto dou o meu melhor para me manter positiva, isso dói!

Dizia, basicamente: ‘Quem me dera ficar em casa o dia inteiro me exercitando com meus filhos, em vez de ter que ir para o trabalho para TRABALHAR…’. Trabalho? Você acha que eu não trabalho? Você acha que eu fico em casa o dia todo sentada de braços cruzados? Você acha que duas crianças de 22 meses me permitem ficar de pernas para o ar o dia inteiro depois de ter feito meus treinos matinais? Você acha que estou transbordando energia enquanto carrego um novo bebê e, freneticamente, dou tudo de mim para acompanhar os gêmeos correndo em volta de mim?

Só para deixar claro… Eu me exercito entre 20 – 30 minutos por dia. Às vezes, tenho que pausar o treino umas 20 vezes para apanhar brinquedos, trazer comida, fazer cessar puxões de cabelo, separar briga por brinquedos e, alguns dias, paro depois de dois minutos, porque, simplesmente, não dá para me exercitar naquele dia.

Noutros dias, estamos tão ocupados, ou os garotos estão tão grudentos/irritados (esta foto resume bem), que o melhor treino que eu posso fazer são alguns agachamentos, flexões e tríceps na barra paralela, enquanto eles estão comendo, ou estamos praticando novas palavras, contando até 10 ou aprendendo os nomes das partes do corpo.

Certamente, eu NÃO passo o dia todo me exercitando. Passo os meus dias trocando fraldas sujas, lidando com birras, brincando de carrinho, limpando a comida jogada no chão antes mesmo de ser provada, caminhando na rua enquanto tento fazer crianças cansadas e mal-humoradas pegarem no sono.

…tentando ensinar dois pequenos seres humanos a COMPARTILHAR em vez de morder, de puxar cabelo, arranhar ou empurrar um ao outro; empurrando balanços, subindo e descendo de fortes perigosos que nem deveriam estar em parques infantis, porque são tão inseguros; cantando o alfabeto, embarcando em aventuras para deixar os bebês felizes; aspirando a casa 3 vezes ao dia porque toda aquela comida que eu cozinho com tanto sacrifício nem mesmo foi comida. Ah, e eu não mencionei a luta constante de ser uma árbitra de jogos o dia TODO, entre dois macaquinhos insolentes que – adivinhem – NÃO brincam alegremente e divertem-se o dia todo!

Para ficar registrado, os GÊMEOS não fazem isso!!! Talvez quando forem mais velhos, façam! Eu espero que sim de qualquer maneira, mas no momento, não – eu literalmente, na maior parte do tempo, não posso tirar meus olhos deles!”

Depois do desabafo e de ler alguns comentários de seus seguidores, Anna frisou que os gêmeos são melhores amigos um do outro, mas precisam de supervisão constante.

Sobre o porquê de ela optar por ficar em casa cuidando dos filhos, ela disse que não foi por eles serem ricos, porque não são. Embora seja a melhor escolha que ela poderia fazer, ficar em casa cuidando dos filhos significa se privar de um monte de coisas. Eles alugaram um estúdio nos fundos da casa para conseguir uma renda extra para ajudar nas despesas.

E tem se dedicado muito – filmando, editando vídeos, escrevendo posts – para conseguir os atuais 81,5 mil seguidores no Instagram, pois deseja também dar sua contribuição financeira para a família.

Ela faz um apelo

“POR FAVOR, estou implorando, NUNCA subestimem o TRABALHO ÁRDUO das mães que ficam em casa!”

O que acharam do desabafo de Anna?

Compartilhem esta mensagem para que menos pessoas subestimem o trabalho tão importante e sagrado que essas mulheres guerreiras, as mães e donas de casa, executam dentro das paredes do próprio lar.

Toma un momento para compartir …

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.