Discutir demais engorda?

Casais que brigam muito e são hostis com seu cônjuge sofreram algumas alterações metabólicas de acordo com um estudo da Universidade de Ohio.


Michele Coronetti

A obesidade não traz problemas apenas para a estética e autoestima. Doenças indesejadas como o diabetes, hipertensão e outras relacionadas ao alto nível de colesterol e triglicérides infelizmente acompanham o aumento de peso.

Mas o que engordar tem a ver com discutir demais? Um estudo da The Ohio State University mostrou que casais com histórico de depressão e que discutem mais acaloradamente que outros, tiveram alterações metabólicas e consequente aumento de peso.

Foram escolhidos 43 casais com idades entre 24 e 61 anos, casados há pelo menos 3 anos, com histórico de relações conflituosas e depressão. Constatou-se que os casais que brigavam mais acaloradamente queimavam cerca de 31 calorias a menos por hora, aumentando assim sua massa corporal. Os níveis de insulina no sangue de cada um deles também ficaram em cerca de 12% acima dos índices normais nas pessoas que discutiam menos e eram menos hostis com seus parceiros.

Para a realização do estudo, os casais receberam refeições ricas em gordura e posteriormente foram estimulados a resolver conflitos no relacionamento referentes a questões financeiras, convívio com parentes e outros problemas de comunicação. Seu gasto calórico foi medido pelos pesquisadores que não só identificaram fatores crônicos de estresse que podem levar à obesidade, mas também o quanto as doenças psicológicas podem alterar no metabolismo humano.

Calculando as diferenças, chegaram a um fator de aumento de peso de mais de 5 Kg por ano. Com os níveis de insulina aumentados e picos de triglicérides causados pelas discussões acaloradas durante a digestão somados a este ganho de peso, a possibilidade de risco para o desenvolvimento de doenças cardíacas e diabetes fica mais suscetível.

Ainda comentando sobre os resultados, os pesquisadores declararam que esta estimativa pode ser baixa, pois o estudo foi feito com apenas uma refeição. Com o convívio, o casal pode ficar propenso a aumentar ainda mais o risco de adquirir estas doenças e engordar mais. Quanto mais longo o relacionamento hostil, maior a tendência a ganhar peso e desenvolver as doenças correlacionadas.

Leia: Como recuperar uma relação desgastada pelas brigas

Advertisement

Já que discutir engorda, será que não discutir emagrece?

Como brigar demais com o parceiro está relacionado à hostilidade e depressão, estar de bem consigo mesmo e com a pessoa amada trará equilíbrio emocional a ambos. Quando há amor e compreensão, quando os dois conseguem resolver as diferenças sem precisar brigar, estarão preservando o amor e mantendo os níveis hormonais sem excessos prejudiciais.

Leia: Felicidade no casamento – 5 soluções para nunca brigar com seu cônjuge

A obesidade não se restringe apenas às pessoas que brigam muito. Ela pode aparecer em qualquer pessoa e por fatores diversos como predisposição genética, doenças, alimentação desequilibrada, excesso de produtos processados ou simplesmente comer demais. Não há como generalizar os casais obesos dizendo que todos não se entendem. A pesquisa é apenas um alerta para que a vida conjugal seja livre de hostilidades e que haja mais amor e compreensão.

Leia: O seu casamento está lhe engordando?

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.