Dicas para incluir frutas na alimentação infantil

Criança precisa de frutas bem como seus pais. Quando alternativas saudáveis são buscadas, todos são beneficiados.


Michele Coronetti

Incluir frutas na alimentação é importante e saudável. Quando o hábito é estabelecido desde a infância, muitos problemas de saúde poderão ser evitados na vida adulta. Elas são doces e cheias de vitaminas e fibras que protegem o organismo e ajudam na recuperação de doenças.

Algumas frutas são muito apreciadas pelos pequenos, pois eles ingeriram nos seus primeiros meses e o cérebro reconhece o sabor, sendo aceitas. Para que eles experimentem novos sabores ou retornem a se alimentar de uma determinada fruta vale alguns truques que irão encantar os olhos e aguçar o interesse.

Maçã

Essa fruta clássica é doce e repleta de benefícios. Bebês recebem maçãs raspadinhas e costumam amar, mexendo os braços a cada colherada como quem pede mais. Para eles o ideal é a maçã do tipo Gala, pois sua textura permite raspar sua polpa e servir em colheradas para bebês. Conforme eles vão crescendo e ganhando dentinhos, pedaços finos e longos podem ser oferecidos, sempre com o acompanhamento do responsável para evitar situações estressantes. Nessa fase eles costumam preferir a do tipo Fuji. Orientações de mastigação e principalmente alimentar-se do mesmo item com a criança contribui para o entendimento de sua importância. Eles adoram fazer as mesmas coisas que seus pais. Quando maiores, em idade escolar, preparar pratos coloridos com cortes diversificados e divertidos será um estímulo a mais para prosseguir com o hábito.

Banana

O sabor desta fruta amassada fica registrado e muitas crianças continuam gostando da textura que ela tem ao amassar. Quando maiores, outros sabores podem ser inclusos, como a aveia. Se eles gostarem do sabor irão buscar um prato quando tiverem vontade de comer doce e será uma combinação muito saudável. Nem todas as crianças gostam da banana amassada, pois podem dizer que é coisa de bebê. Incentivar a retirar a casca e se alimentar de forma saudável é importante. Para variar na apresentação, além dos pratos divertidos é possível preparar espetinhos, lembrando de retirar as pontas antes de entregar.

Manga

Ela é muito apreciada pelas crianças por ser muito doce. Cortar cubinhos e servir com palitinhos é uma ótima ideia. Escolher manga do tipo menos fibrosa é recomendado, pois as crianças não gostam muito dos fiapos que alguns tipos costumam ter. A manga Palmer é a mais indicada.

Melão

Essa fruta doce é muito versátil e as crianças costumam gostar bastante. Para servir aos pequenos é possível fazer bolinhas e colocar em um prato acompanhadas ou não de outras frutas como melancia. Boleadores são fáceis de achar e o visual fica divertido.

Melancia

Colorida ela pode ser ainda mais divertida quando cortada em triângulos e espetadas em um palito, que fazem a porção ficar parecida com um picolé.

Advertisement

Uvas

Doces e saborosas, além de muito coloridas, as crianças costumam gostar bastante. Para cultivar o hábito, tipos sem sementes são os mais indicados a princípio.

Tangerinas

A curiosidade para descascar e separar os gomos pode ser um fator importante para o início do hábito, mas nem todas as crianças apreciam essa parte. Para aquelas que preferem não sujar as mãos, servir os gomos separados ordenadamente em um prato favorece o hábito.

Kiwi, carambola e outras frutas

Elas são versáteis e ficam lindas em alguns cortes. A carambola vira uma estrela e é fácil conseguir a atenção da criança. Deixar a fruta descascada e pronta para o consumo e ainda caprichar no visual facilita o interesse da criança.

Caso o pequeno não aceite as frutas e recuse mesmo com tantos artifícios, a opção do suco é válida. Importante lembrar que a fruta quando servida não deve ter adição de açúcares e quando o suco é feito normalmente ocorre isso, prejudicando os benefícios que as frutas oferecem. Pais que incluem frutas em sua alimentação são mais propensos a ter filhos que fazem o mesmo, sendo o exemplo de grande peso nesse quesito.

Uma outra dica é não mostrar muita ansiedade para que o filho utilize as frutas em sua alimentação nem muita insistência, pois as crianças costumam perceber e fazer exatamente o contrário, mesmo que estejam com vontade de comer as frutas, apenas para ter maior atenção dos pais, o que acaba se tornando em um ciclo. Alimentação deve ser algo natural e cotidiano, prazeroso e divertido.

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.