Dia dos Filhos é todo dia

Se não fosse pelos nossos filhos existirem não comemoraríamos o Dia dos Pais ou o Dia das Mães, então precisamos comemorar o Dia dos Filhos.


Cibele Carvalho

Temos, entre os feriados mais celebrados, o “Dia das Mães” e o “Dia dos Pais”.

E se criássemos o “Dia dos Filhos”? Afinal eles existiram primeiro para que pudesse existir, ou nascer uma mãe, existir ou nascer um pai. Por virem ao mundo, nossos pais receberam o título de vovô e vovó, nossos irmãos de titio e titia.

Desta forma, visando demonstrar nossa profunda gratidão; com o intuito de tentar explanar sobre a forma de amar um filho após o seu nascimento, fizemos o rascunho do que seria o “Dia dos Filhos”, e poderia ser devidamente promulgado e estabelecido, como segue:

Que o Congresso do Lar, em comum acordo com seus principais integrantes, com unanimidade de votos, decide criar e apoiar o “Dia dos Filhos”.

Parte Geral

Esta Lei dispõe sobre a proteção integral que, nós como principais membros desse Congresso decidimos entregar de todo coração, mente e força a partir do momento que olhamos seu rostinho pela primeira vez.

Das Disposições Preliminares

Nos casos expressos, e fora deles, e em todos os momentos, e em toda e qualquer circunstância, faremos de tudo para lhe assegurar os direitos fundamentais de filho, observando atentamente todas as oportunidades, a fim de lhe facultar seus primeiros passos e toda a sua caminhada pelo resto de sua vida.

Dos Direitos Fundamentais

Incumbe ao Poder de Pai e de Mãe, serem atendidos preferencialmente pelos filhos quando solicitado um beijinho e um abraço apertado, a fim de assegurar a assistência psicológica e emocional necessária para a criação de uma criança.

Advertisement

Desta forma, se atendidas às exigências descritas acima, nós como pais garantimos a imediata efetivação de medidas que visem agradecer e promover uma recompensa satisfatória.

Do Amparo

É dever de todo pai e mãe proporcionar amparo, abrigo, cuidados, orações, pensamentos, horas de sono sem dormir, contas para pagar, tempo para brincar e conversar, paciência para ensinar, sabedoria para educar, enfim dedicar todo seu tempo para descobrir a melhor forma de ser pai e mãe para o resto da sua vida.

Da Prevenção

Designamos como autoridade principal para dar cumprimento às obrigações impostas pelos pais em sua ausência a vovó e o vovô, que irão auxiliar a prevenir que os pais de primeira viagem não causem danos físicos, psicológicos ou qualquer outro a seus filhos, permitindo aos mesmos dar conselhos toda hora que precisar.

Das Medidas de Proteção

Garantimos que serão realizadas todas as medidas necessárias que visem proteger os filhos, desde o momento do nascimento e para sempre, mantendo nossa família como prioridade, objetivando despojar-se de tudo que éramos antes e transformar-se em novos seres humanos, dispostos a doar tudo que temos e somos para o bem-estar e felicidade dos filhos.

Das Disposições Finais

Nunca há um fim para esse chamado e responsabilidade de Pai e Mãe, um filho nasce filho e o será para sempre, “é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e aprendermos a ter coragem” (José Saramago).

Isso é somente uma hipótese, ou mesmo uma proposta para que, antes de celebrarmos nossos próprios feriados, saibamos reconhecer nossas responsabilidades como pais, mães, avós e tios.

Pense a respeito, dedique um dia da sua vida para atender exclusivamente ao seu filho, vá aos lugares favoritos dele, coma a sua comida favorita, brinque com ele até que ele canse, ouça tudo o que ele tem para dizer, afinal você se tornou mãe pelo simples fato de que ele existe.

Este artigo foi escrito em homenagem ao primeiro ano de vida da filha da autora.

Toma un momento para compartir …

Cibele Carvalho

Bacharel em Direito, Mediadora e Conciliadora de Família, realiza palestras para noivos e recém-casados sobre relacionamentos, especialista em Psicologia Jurídica, esposa, mãe e genealogista.