Conheça 8 golpes comuns aplicados por criminosos – por telefone e pessoalmente

Conhece alguém que já foi vítima de algum deles?


Erika Strassburger

Um artigo publicado no site da Polícia Judiciária Civil, do Mato Grosso, alerta para alguns golpes muito comuns, que, infelizmente, fazem muitas vítimas em todo o país.

Alguns deles, os que envolvem ligações telefônicas, geralmente são aplicados de dentro de presídios. Em outros, os criminosos agem pessoalmente, muitas vezes contando com a ajuda de comparsas.

Preste bastante atenção para não cair em nenhum desses golpes:

1. Carro quebrado

O criminoso liga para um número aleatório e, quando alguém atende, ele tenta se passar por um parente de longe, um sobrinho ou primo. Ele geralmente começa a conversa dizendo: “Oi, primo(a), sabe quem está falando?” E a pessoa cai na besteira de dizer um nome. Pronto! Ele finge ser aquela pessoa.

Ele inventa que o carro estragou na estrada e precisa chamar o guincho ou mecânico, mas está sem dinheiro naquele momento. Então, induz a pessoa a depositar uma quantia em sua conta. Ou pede para ela colocar créditos em seu celular para que ele consiga falar com a família ou acionar a seguradora.

2. Envelope vazio

Esse golpe geralmente é aplicado na compra de bens de muito valor, como carro ou moto. Mas também é usado na compra de móveis ou materiais de construção. O criminoso deposita um envelope vazio no terminal eletrônico e apresenta o “comprovante de pagamento” para a vítima, que acaba entregando a mercadoria.

3. Falso prêmio ganho de um programa de TV

O estelionatário envia uma mensagem de texto dizendo que é da produção de algum programa de TV, e que a pessoa ganhou um prêmio, mas que, para recebê-lo, precisa seguir as instruções contidas na mensagem. A vítima acaba comprando crédito de celular e os golpistas oferecem mais prêmios se ela fizer novas recargas.

Advertisement

4. Falso sequestro

Segundo a polícia, este é um caso de extorsão, não apenas de estelionato. O criminoso liga para um número aleatório e diz, em tom de voz ameaçador, que está de posse do filho ou filha da pessoa que atendeu, e exige o pagamento de resgate por depósito. Outra voz aparece ao fundo gritando, como se estivesse sendo torturada, ou aparece no telefone gritando: “Pai/mãe, por favor, manda o dinheiro para eles, senão vão me matar!”. Muitos que têm filhos podem ficar confusos ou mesmo acreditar na história.

O falsário mantém a pessoa na linha o tempo todo até o depósito ser concluído, como forma de evitar que a vítima entre em contato com o filho ou filha supostamente sequestrado(a), com outro familiar ou com a polícia.

5. Furo na fila para receber uma casa de programas habitacionais do governo

Neste caso, a vítima também está tentando obter vantagem. O golpista promete passar a pessoa na frente de outras no recebimento de sua casa em um programa do governo, em troca de uma quantia. Logo que recebe o dinheiro, ele simplesmente desaparece.

6. Bilhete premiado

O golpista diz que tem um bilhete premiado, mas não pode retirar o prêmio porque tem alguma restrição (falta documento, problema com a justiça) e pede para a vítima sacar o valor em seu lugar, em troca de uma parte do prêmio.

Mas, o golpista pede uma quantia ou algo de valor, como joias, como garantia de que realmente “vai receber o dinheiro” quando a vítima sacar. Em posse da caução, ele foge, deixando a vítima lesada com um bilhete sem valor.

7. Pecúlio

A vítima recebe uma carta timbrada supostamente enviada por alguma Vara Cível, comunicando que há um alto valor a ser recebido a título de pecúlio, mas que, para recebê-lo, ela precisa pagar as custas do processo. Ela liga para um número indicado na correspondência e recebe orientações do criminoso sobre como efetuar o pagamento, que, obviamente, vai parar na sua conta.

8. Pacote de dinheiro

Dois criminosos observam a vítima sacando grande quantia em dinheiro em um banco e a seguem. Um deles finge deixar cair – de forma a chamar atenção da vítima – um cheque de alto valor e um pacote de dinheiro falso. Seu comparsa se aproxima dela e diz que também viu o que aconteceu e a convence de irem juntos devolver o dinheiro.

O farsante “descuidado” demonstra gratidão pela honestidade da dupla e lhes oferece uma recompensa, pedindo que compareçam em “seu escritório” para recebê-la.

O comparsa finge ter ido receber a recompensa e volta com uma quantia significativa de dinheiro, despertando o interesse da vítima. Ela é induzida a deixar seus pertences de valor enquanto busca sua recompensa, e quando percebe o golpe, os dois já desapareceram.

Cuidados necessários para não cair em um golpe

  1. Quando a esmola é demais… desconfie. Desconfie de prêmios, promessas, vantagens. A única maneira segura de ganhar algum dinheiro extra é fazendo um trabalho extra.

    Advertisement
  2. JAMAIS dê trela a desconhecidos pelo telefone. JAMAIS forneça dados pessoais, nomes de familiares, amigos. Nem mesmo diga o seu nome.

  3. Muito cuidado quando for fazer saques/depósitos. Se o valor for grande, tente disfarçar o volume e, se possível, leve alguém com você.

  4. Não se desespere. É mais fácil para os falsários manipularem pessoas desesperadas. Respire fundo e tente raciocinar. Uma pergunta certa pode desmontar a farsa na hora.

  5. Abandone a cobiça. Muitas pessoas só caem em golpes porque cobiçam prêmios e vantagens.

Toma un momento para compartir …

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.