Como se livrar das coisas que aprisionam nossa alma

Como se libertar de situações que aprisionam a alma e enfraquecem a mente das pessoas.


Marilia de Andrade Conde Aguilar

No ordenamento jurídico brasileiro existem vários tipos de punições. Algumas são de natureza financeira (como as multas), outras limitam o exercício de alguns direitos (como a suspensão da habilitação para dirigir ou o direito de se candidatar a um cargo eletivo). As penas mais severas, no entanto, restringem a liberdade de ir e vir da pessoa (são aquelas em que o indivíduo vai para a prisão).

A “prisão” no sentido de “penitenciária” é algo que está muito longe do cotidiano da maioria das pessoas. Entretanto, lidamos diariamente com muitas situações que “aprisionam” a alma das pessoas.

Vamos analisar algumas dessas “prisões emocionais”:

1. A prisão dos vícios

: Nesta categoria entram tanto os vícios altamente destrutivos do álcool, fumo e drogas ilícitas, como também aqueles mais sutis (e aparentemente inofensivos) como a pornografia. Muitas pessoas alegam que não há mal algum em usar e abusar do álcool e das drogas e que confundem pornografia com liberdade de expressão. Esse tipo de prática destrói emocionalmente não somente o dependente, mas também toda a família.

  • É preciso reconhecer a situação de dependência e procurar ajuda, seja espiritual ou profissional, o mais rápido possível!

2. A prisão do stress

: A correria do dia a dia chega a ser sufocante. Como mãe de 3 crianças menores de 4 anos, esposa, dona de casa e profissional sei muito bem o que isso significa: muitas responsabilidades e pouco tempo para dar conta de tudo isso. Se não tomarmos cuidado com nossa agenda, fatalmente surgirá o esgotamento, a frustração e até doenças físicas de fundo emocional, como gastrites, alergias, inflamações cutâneas entre muitas outras.

  • É preciso priorizar! E aprender a dizer “não” de vez em quando. Tente se concentrar em uma tarefa de cada vez e aprenda a desfrutar as coisas simples da vida.

3. A prisão da dívida

: Em uma sociedade que prega o lema “ter é poder”, as pessoas são levadas a gastar mais do que ganham e acabam se afundando em dívidas do cartão de crédito e cheque especial – uma receita certa para o sofrimento. Assuma o compromisso de não comprar por impulso. No artigo“Os 4 mandamentos para a segurança financeira de sua família” abordo esse assunto com mais profundidade.

  • Liberte-se dessa prisão com autocontrole e planejamento!

4. A prisão do medo

: Medo de tentar, medo de fracassar, medo do desconhecido, medo do passado ou do futuro. O medo está enraizado no nosso senso de autopreservação – é a luta pela sobrevivência. Acontece que, às vezes, supervalorizamos esses temores e eles tomam proporções incontroláveis.

Advertisement
  • Tente colocar as coisas nos seus devidos lugares e dar a elas a importância que merecem. Conserte o que puder ser consertado e, como diria minha avó, “o que não tem remédio, remediado está” – não fique remoendo as coisas do passado que não podem ser arrumadas. Não repita o mesmo erro e siga em frente tentando acertar.

De certa maneira, a “prisão emocional” é pior do que a “prisão penitenciária”, porque não tem um prazo para acabar.

Se a pessoa não estiver realmente disposta a se libertar, pode ser que fique nessa situação para o resto da vida.

Se você atualmente encontra-se “preso emocionalmente”, saiba que a chave que abre sua cela está somente em suas mãos.

Procure a ajuda e o aconselhamento necessários. Mas lembre-se que o poder de mudar está dentro de você.

Toma un momento para compartir …

Marilia de Andrade Conde Aguilar

Marilia Condé Aguilar é advogada, escritora, esposa e mãe. Adora pesquisar e está sempre em busca de soluções práticas para ajudá-la a equilibrar suas responsabilidades familiares e profissionais.