Como prevenir e reconhecer os maus-tratos de crianças

Fique de olho nestes sinais e salve ou previna uma criança do abuso infantil.


Brooke Smith

Muito do diálogo público sobre crianças é focado em seu ser intimidado, perseguido e maltratado fora de casa. No entanto, concentrando-se exclusivamente sobre essas questões pode nos levar ao esquecimento de algumas grandes questões. Prevenir os maus-tratos à criança é uma questão muito importante, 80 por cento deles acontecem em seus próprios lares de acordo com o Departamento de Saúde e Proteção à Criança dos Estados Unidos.

A melhor maneira de lidar com os maus-tratos de crianças é evitar que isso aconteça. “Abuso tem um impacto extremamente negativo sobre a família e a nossa sociedade”, diz Hmurovich.

A Prevenção de Abuso à Criança da América calculou que o país gasta o equivalente a R$ 160 bilhões por ano em custos diretos e indiretos para remediar os efeitos dos maus-tratos não tratados. Em base individual, o custo médio de vida útil estimado por vítima de maus-tratos não fatal é R$ 420.024,00 em 2010, incluindo R$ 65.296,00 em custos de cuidados de saúde na infância; R$ 21.060,00 com custos médicos em adultos; R$ 288.720,00 em perdas de produtividades; R$ 15.456,00 em custos do bem-estar da criança; R$ 13.494,00 em custos judiciais e R$ 15.998,00 em custos de educação especial. Além disso, as crianças que sobrevivem aos maus-tratos têm um risco muito grande de terem a saúde fragilizada, o comportamento criminoso e delinquente.

Abaixo estão algumas dicas projetadas para ajudar as famílias a evitar e reconhecer o abuso.

Métodos de prevenção

1. Eduque-se.

  • A maioria dos abusos acontece como resultado de estresse elevado e frustração.

  • Grupos de apoio a pais podem ajudar ensinando às famílias as técnicas adequadas para lidar com o estresse e reduzir muito o risco de negligência e abuso em casa.

  • Hmurovich recomenda “visitas domiciliares”, um programa que envia um voluntário para ensinar aos novos pais como dar o melhor atendimento possível para seu recém-nascido e reduzir o risco de abuso em casa.

    Advertisement

2. Esteja informado.

  • Os pais precisam ser informados de todos os tipos, causas e sinais de abuso.

  • Seja cauteloso para não confiar exclusivamente no “perigo desconhecido.” A maioria dos abusadores é alguém que é confiável e próximo da família.

  • Limite ou elimine situações em que um adulto (que não seja o pai) e uma criança fiquem sozinhos.

  • É responsabilidade de um adulto manter a criança segura.

  • A construção de uma relação de confiança pais e filhos podem ajudar a criança a evitar relações e situações abusivas.

Dicas para reconhecer o abuso nas crianças

  • A criança demonstra uma mudança repentina no comportamento e diminuição do desempenho escolar.

  • A criança tem uma debilitação física ou psicológica, os pais estão cientes, mas não a leva ao médico.

  • A criança tem problemas de aprendizagem desenvolvidos recentemente que não resultam de causas físicas ou mentais.

  • A criança parece estar constantemente vigilante ou pronta como se algo de ruim fosse acontecer a qualquer momento.

Hmurovich aconselha a todos que sabem que uma criança está precisando de assistência a ligar imediatamente para o serviço de proteção à criança através do número de emergência. O importante é, “Diga para alguém que você pode confiar e peça ajuda. Deixe as autoridades cuidarem disso de alguma forma. Você pode colocar um fim ao abuso e permanecer seguro,” diz Hmurovich.

Advertisement

Os telefones para denúncia de maus tratos e abuso infantil são: 08002829996 (Disque Criança), o Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e o Disque-Denúncia 2253-1177.

Traduzido e adaptado por

em,Jaguaraci N. Santos

do original  How to prevent and recognize child abuse , de

Brooke Smith.

Toma un momento para compartir …

Brooke Smith

Atualmente estudante da universidade Arizona State Cronkite School of Journalism and Mass Media Communications.