Como lidar com germes e seu novo bebê

Conheça mais sobre os germes e como evitá-los.


Fernanda Ferraz

Toda mãe, quando recebe seu filho nos braços com todo amor e zelo, deseja cuidar dele e protegê-lo, por isso é tão imprescindível conhecer os perigos que os germes podem causar.

É verdade que os bebês, à medida que crescem, ficam mais expostos a tudo, principalmente porque tudo que veem, querem colocar na boca. Por isso, vale a pena conhecer mais sobre esses pequenos seres (os germes), que podem fazer tanto mal aos seus filhos.

Os germes

Alguns germes são importantes para o corpo, pois defendem o organismo de alguma forma; por exemplo, existem germes que se alojam em nosso intestino e proporcionam seu bom funcionamento, dando aquele empurrãozinho. Eles podem viver nas pessoas, nos animais, nos ambientes, nas plantas, estão espalhados em todo os lugares.

Ambiente e classe

Quanto mais sujo o ambiente, mais propício estará para os germes. Os germes estão divididos em quatro classes: protozoários, fungos, bactérias e vírus.

1- As bactérias

Algumas bactérias, ao entrar em nosso organismo, podem causar infecções, trazendo problemas como: inflamação na garganta, infecções intestinais, dores no ouvido, etc.

2- Fungos

Os fungos ficam em lugares bem quentinhos e úmidos e se proliferam bem rapidamente; podem aparecer como manchas na pele ou caroços, consideradas como dermatites.

3- Protozoários

Vivem na água e são transmitidos quando o ser humano está nela ou se alimenta de algo (por exemplo, alface, verduras), que estavam em água contaminada. O protozoário, quando no corpo, pode causar vômitos, diarreias, dor no estômago e enjoos.

Advertisement

4- Vírus

Os vírus são transmitidos com uma grande velocidade e podem trazer grandes riscos à saúde. Eles podem ser transmitidos de pessoa para pessoa e de ambientes ou objetos contaminados para pessoas. Para evitar o contágio, a pessoa com virose, quando espirrar ou tossir, deve levar o lenço (de preferência descartável) na frente da boca ou nariz e depois lavar bem as mãos, pois até mesmo num aperto de mãos muitos germes são passados de uma pessoa para outra.

Como proteger seu filho?

Os germes podem ser transmitidos pelo sangue, suor ou saliva. Veja algumas formas simples para cuidar de seu bebê:

1. Lavar as mãos

Lave as mãos para pegar no recém-nascido ou, se chegar uma visita, peça para o visitante lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel.

2. Pessoas doentes

Não deixe seu bebê perto de pessoas doentes, pois o sistema imunológico da criança ainda é muito indefeso e qualquer enfermidade pode influenciar na saúde do bebê.

3. Ambientes estranhos

Evite levar a criança para todos os tipos de lugares, principalmente nos 3 primeiros meses, pois quanto maior e mais movimentado o ambiente, maiores as chances de algum tipo de contaminação.

4. Amamentação

Amamente à vontade seu anjinho, pois o leite materno contém anticorpos que protegem e previnem o seu bebê da entrada de corpos prejudiciais ou estranhos em seu organismo.

5. Animais

Se em sua casa existem animais, evite o contato direto com o bebê, principalmente nos primeiros meses, pois animais caminham pelo chão, onde defecam e urinam, por isso muitas bactérias e fungos podem ser facilmente encontrados neles. Quanto mais limpo o local dos bichinhos, mais saúde para toda a família.

6. Objetos do bebê

Sempre que algum objeto do bebê cair no chão, como chupeta ou mamadeira, o mais indicado é higienizar com água morna.

7. Alimentos para o bebê

Quando for alimentar seu bebê, evite guardar sobras em que a saliva dele tenha tocado na comidinha, pois a saliva contém inúmeras bactérias que se multiplicam rapidamente; o mais indicado é separar as porções certas, para não haver sobras.

Esteja atenta e cuide com amor de seu filho. Exageros também não fazem bem, lembre-se que o equilíbrio é a melhor forma de cuidar.

Advertisement

Referências:

Bebe.com.br; Discovery Kids Brasil.

Toma un momento para compartir …

Fernanda Ferraz

Graduada em RH, acredito que nossa vida têm verdadeiro propósito, sou SUD, sei que toda dor e aflição é uma fonte de virtude e força espiritual, que nos molda e purifica.