Com uma grave doença, esse adolescente já viveu mais do que a metade da vida e pode nos ensinar algo muito importante

“Todos os dias são batalhas e todos os dias são batalhas vencidas. Esse sou eu, é assim que eu tenho que ser, então eu lido com isso". Jonathan Pitre


Caroline Canazart

Sentir dor todos os dias. Essa é uma das certezas que o canadense Jonathan Pitre, 14 anos, tem sempre ao acordar. Ele foi diagnosticado ainda bebê com uma grave doença: a Epidermólise Bolhosa (EB). Com 90% do corpo comprometido, a doença causa bolhas pelo corpo que não cicatrizam facilmente e dores extremas. Alguns portadores da doença comparam a dor como se fosse de uma queimadura de terceiro grau.

Com uma rotina diária muito difícil, entre medicação, dieta especial e banhos extremamente dolorosos para a troca das ataduras que podem durar até quatro horas, Jonathan é um exemplo de positividade. “Só tenho expectativa de vida de 24 anos e já cheguei à metade da minha vida. Isso dá uma perspectiva diferente, pense no que você tem, pense em toda a felicidade a sua volta, pense em todo o amor”, afirma.

Apesar de confessar para a mãe, Tina Boileau, que gostaria de viver um dia apenas sem a dor, Jonathan é um exemplo a ser seguido. Ele participa ativamente da ONG Debra, do Canadá, que apoia pessoas com a doença.

Ele sonha em assistir uma aurora boreal (fenômeno de luzes coloridas, geralmente avermelhadas e esverdeadas, que acontece em regiões polares do hemisfério norte, e podem ser vistas à noite ou no final da tarde). “É tão lindo ver as luzes dançando no céu. Isso me dá a sensação de esperança. Que um dia vamos nos libertar da dor. Começaremos a não ter limitações e a fazer o que quisermos”, conta o rapaz, lembrando os amigos que já perdeu em decorrência da doença.

O vídeo que conta um pouco da história de Jonathan pode ser um pouco forte para quem tem sensibilidade em ver um corpo machucado. Mas também é inspirador saber que alguém, com tamanho sofrimento, consegue viver os dias positivamente e com o objetivo de superar a expectativa dos 24 anos de vida.

Leia também: Seu filho foi diagnosticado com uma síndrome rara, mas ela não desanimou e fez algo incrível

Toma un momento para compartir …

Caroline Canazart

Caroline é uma jornalista catarinense que optou por ser mãe em tempo integral depois do nascimento dos filhos. Ama escrever e ainda acredita que pode mudar o mundo com isso.