Casais divorciados se arrependem de não ter tido estas 4 discussões

Que as brigas acabam com o amor e podem causar separação todos sabem. A falta de discussões também pode causar o divórcio.


Michele Coronetti

É difícil prever quando um divórcio poderia ter sido evitado, pois normalmente é algo que é decidido depois de muita ponderação individual e do casal. Depois da separação, muitos casais se arrependem e gostariam de ter feito algumas coisas de forma diferente, pois, talvez assim, teriam evitado esse desfecho.

As discussões no casamento normalmente enfraquecem e despedaçam corações. As mais frequentes são sobre o dinheiro, tarefas domésticas, outros familiares, amigos, trabalho, gostos individuais ou sobre os filhos. E quando acompanhadas de desprezo, falta de respeito e violência se tornam ainda piores.

Casais optam pela separação quando acreditam que estariam melhores sem o cônjuge. Discussões constantes e desentendimentos favorecem a ideia de desfazer a união. Algumas pessoas divorciadas comentaram neste artigo sobre as discussões que se arrependeram de ter tido ou de ter evitado durante seu relacionamento conjugal.

1. Discussão sobre o divórcio

Um dos arrependimentos é por não ter discutido sobre o fim do casamento. Se havia tanta discussão sobre tudo, por que a decisão do divórcio foi tão breve e sem argumentos? Esse debate deveria ter acontecido e o casal insistido um pouco mais nas opiniões diferentes sobre a separação. A concordância rápida não foi uma boa opção segundo uma pessoa divorciada.

2. Discussão sobre as tarefas domésticas

Uma outra pessoa que também se divorciou se arrependeu por não ter tido discussões sobre cuidar da casa, da roupa e da comida. Ela se sentiu sobrecarregada com seu trabalho externo e todos os afazeres dentro do lar. Sem falar nada com seu cônjuge a respeito disso e depois de se orientar com colegas de trabalho ela decidiu começar uma greve e parou de lavar a roupa do cônjuge e a sua louça. Imaginou que isso seria ótimo para que ele percebesse seu trabalho árduo e o reconhecesse, porém isso não aconteceu. Assim como ela, ele não quis falar sobre seu cansaço no trabalho de 60 horas semanais ao qual estava engajado. Ambos queriam reconhecimento e apoio apenas, mas por não haverem debatido sobre o assunto, o amor foi morrendo.

3. Evitar discussões

Quando um dos cônjuges gosta de argumentar sobre qualquer assunto e o outro não, isso pode causar muito mal-estar. Enquanto um argumenta ou outro se retira para finalizar a discussão. Depois do divórcio isso se mostrou ruim e a pessoa se arrependeu por não ter conversado e argumentado, ou pelo menos dado sua opinião. Talvez o casamento teria sido preservado.

4. Não brigar

E quando os dois não gostam de argumentar? Isso acontece e a concordância da opinião do outro é praticamente automática. Bilateralmente. Não há brigas, discussões, argumentos, apenas aceitam a vontade um do outro. Uma mulher divorciada ouviu de um amigo após a separação: Mas vocês nunca brigam! Exato. E este provavelmente acabou sendo o motivo do divórcio.

Advertisement

O diálogo de forma respeitosa e com amor real ainda é a melhor maneira de resolver conflitos e discordâncias. Ele ainda pode evitar arrependimentos e até rompimentos. Discussões acaloradas e desrespeitosas levam ao divórcio tanto quanto a falta de debates sobre a vida do casal ou suas tarefas. É importante manter sempre o equilíbrio e agir de forma amorosa para manter a união e o respeito do cônjuge e evitar as separações.

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.