As bençãos vêm depois da prova de fé

À medida que você crescer e progredir, ainda vai ocasionalmente lutar com as verdades e mandamentos. Mas, passe pelo teste, você pode e deve.


Becky Rickman

As bênçãos nem sempre vêm de imediato. Às vezes, temos que buscá-las, e essa busca pode significar uma prova de nossa fé.

Toda obediência aos mandamentos e advertências vem com bênçãos, mas nem sempre imediatamente. É a mesma coisa quando nos ajoelhamos e pedimos certas bênçãos.

Ocasionalmente, como pessoas de fé, aprendemos alguma doutrina que é nova para nós. Podemos inflamar-nos com um desejo ardente de obedecer. Ou talvez não. Podemos lutar com a verdade e até mesmo lutar com Deus sobre ela. De qualquer maneira, a obediência é necessária, e se aceitarmos imediatamente ou levarmos algum tempo para refletir e questionar, ao final, seremos abençoados por nossa fidelidade à verdade.

Quando me converti à minha fé, eu tinha 20 anos de idade. Algumas coisas eram fáceis para mim. Houve coisas que eu tive que desistir e outras que tive que adotar e abraçar. Eu estava tão animada para começar minha nova vida como uma nova criatura, mas lutas vieram junto. Uma delas dizia respeito a dízimos e ofertas. Eu era uma mãe solteira lutando e mal suprindo as despesas. O pensamento de tirar dez por cento do meu quase nada e doá-lo era o mais difícil de aceitar. Este foi o meu processo:

1. Relutância

Eu resmunguei quando entreguei aquele pequeno envelope com a doação do meu fugaz e suado dinheiro. Pensei em todas as outras coisas que eu poderia fazer com ele.

2. Aceitação

Aceitei que isso fazia parte do “pacote” e era algo que eu deveria fazer. Eu me ressentia, mas aceitei.

3. Barganha

Disse a Deus em minhas orações que eu estava fazendo isso porque tinha que fazer, mas não queria, e o fazia para que Ele me abençoasse.

Advertisement

4. Iluminação

Enquanto avançava na fé, aprendi que essas doações tinham um direcionamento: novas capelas, hinários, auxílios e tantas outras coisas que mantinham a igreja funcionando perfeitamente.

5. Gratidão

Aperfeiçoei meu entendimento de que tudo isso vinha de cada um fazendo a sua parte e o privilégio que é ter os meios para doar.

6. Aumento

Não demorou muito antes que eu começasse a querer fazer mais. Além dos dez por cento do dízimo, comecei a adicionar pequenas quantidades para outras causas.

7. Constatação da realidade

O que eu dava era pequeno comparado com o que recebia. Embora eu nunca tenha tido um monte de dinheiro à vontade para gastar, eu era capaz de cumprir minhas obrigações. Mas isso não é tudo. Percebi a alegria que sentia agora, quando entregava meu envelope de doações. Elas eram pequenas, mas fizeram a diferença.

Esse mesmo processo foi repetido na medida em que eu crescia na minha fé.

Tal como acontece com as doutrinas e mandamentos, às vezes nós realmente não queremos ouvir ou seguir as respostas que recebemos em nossas orações.

Eu estava noiva de um homem que eu amava muito. Ele me ensinou muito sobre mim, sobre minha fé, sobre a vida em geral. Eu estava ansiosa pelo nosso casamento. Um dia, algumas semanas antes da data, tive uma sensação desconfortável. Naquela noite, ajoelhei-me e em oração perguntei o que esses sentimentos queriam dizer. Eu não deveria ir adiante com meus planos? Esse é realmente o significado de tais sentimentos? A resposta veio rapidamente. “Não se case com esse homem.”

Uma discussão se seguiu. “O que o Senhor quer dizer com não se case com ele? Eu o amo. Ele me ama. Como pode solicitar neste último minuto que eu não o faça?” Essa foi uma pílula amarga que tive que engolir, mas eu sabia que tinha que ser obediente à minha resposta.

Com o coração partido, terminei os planos de casamento, mas continuamos amigos. Somente após fazer como me foi instruído foi que percebi dezenas de razões pelas quais o casamento não teria sido bem-sucedido. Após a prova da minha fé, e através da minha obediência a um impulso do Espírito, juntamente com uma confirmação através da oração, recebi a certeza de que eu estava fazendo a coisa certa e foi ainda dada a bênção adicional de saber por quê.

A fé é um processo. Ela é adquirida passo a passo, pouco a pouco, até que nos tornemos essa nova criatura que não questiona. Eu não estou mais nessa fase, mas continuo no caminho com um coração alegre.

Advertisement

À medida que você crescer e progredir, ainda vai ocasionalmente lutar com as verdades e mandamentos. Mas, passe pelo teste, você pode e deve.

Aqui está o que podemos retirar da minha pequena história:

1. Obedecer

Seja obediente, mesmo que o motivo pelo qual você está fazendo isso é só porque você supõe que deve.

2. Não negociar, apenas aceitar

Omita completamente esse passo. “Negociar” com Deus é questionar sua autoridade. Basta aceitar a sua vontade.

3. Até compreender

Continue a ser obediente até você entender por que você está fazendo isso.

4. Aceitar

Receba e abrace a iluminação que sempre vem depois da luta.

5. Crescer

Não basta ser obediente. Ande a segunda milha e procure oportunidades para fazer mais e servir mais.

6. Gratidão

Em oração, agradeça pela força para fazer a coisa certa, pelo esclarecimento que se segue, e as bênçãos de ser capaz de seguir em frente com fé.

Às vezes, você faz a coisa certa, simplesmente porque é a coisa certa a fazer, mas, eventualmente, após a luta, haverá paz e alegria.

Traduzido e adaptado por Stael Pedrosa Metzger do original Blessings come after a trial of faith, de Rebecca Rickman.

Toma un momento para compartir …

Becky Rickman

Becky Lyn is an author and a 35+ year (most of the time) single mom.