As 5 maiores causas de divórcio, e como evitá-las

Este artigo é para você que diante de dificuldades em seu relacionamento deseja saber como evitar o divórcio e transformar o seu casamento.


Suely Buriasco

Todos os relacionamentos passam por dificuldades, algumas pessoas optam por superá-las, outras apenas se deixam levar e outras preferem desistir. É verdade que ninguém casa pensando em divórcio, tanto é que os noivos fazem os votos de até que a morte os separe; mas também é verdade que o divórcio tem sido uma opção crescente entre os cônjuges insatisfeitos.

Leia: 6 situações que demonstram que seu casamento está por um fio

Se você quer proteger seu casamento vale refletir sobre o que, comumente, causa o divórcio e como fazer para evitá-lo.

1. Diferenças de prioridades e expectativas

As pessoas são únicas e é natural diferirem na forma como conduzem suas vidas. Se cada cônjuge considerar apenas o seu ponto de vista, a vida juntos perde o sentido, pois ou um vai ceder até não suportar mais, ou cada um vai trilhar um caminho diferente. De qualquer forma, quando perceberem o abismo já pode ser intransponível.

Diante dos conflitos naturais o ideal é conversar e estabelecer acordos que atendam a ambos.

2. Questões financeiras

Tanto na forma de encarar as dificuldades, como gerir o dinheiro, problemas financeiros estão no ápice dos motivos de brigas no casamento. Quando não há uma estabilidade econômica, as preocupações se avolumam e os conflitos tomam dimensões intoleráveis.

Fazer um plano econômico familiar em que todos se comprometam a cumprir transforma as dificuldades em motivo de união.

Advertisement

3. Vícios

Pode ser alcoolismo, drogas, pornografia, jogo ou qualquer outro, se um dos cônjuges é viciado o casamento logo se dissipa, afinal um viciado não consegue dirigir nem a si mesmo, que dirá um relacionamento.

É muito difícil manter um relacionamento assim, por isso quanto antes procurar ajuda profissional, melhor.

4. Conflito sexual

Incompatibilidades na intimidade do casal gera muita irritação e nervosismo. Os cônjuges que não sentem suas necessidades sexuais satisfeitas transferem essa insatisfação para o relacionamento que entra em área de risco.

É preciso compreender que a vida sexual do casal é de grande importância para o relacionamento, merecendo toda atenção. Os conflitos sexuais são resolvidos com diálogo, empatia e respeito.

5. Comunicação ineficaz

O problema não é a falta de comunicação, mas a comunicação truncada. O ruído que provoca interpretações errôneas fazem com que os conflitos se ampliem e virem brigas, ofensas, mágoas.

A grande maioria das diferenças e dos conflitos podem ser resolvidos através da comunicação eficaz. Abrir canais para o diálogo é, pois, uma forma eficiente de evitar o divórcio e, mais importante, de manter a harmonia no relacionamento. Para tanto é fundamental desenvolver a empatia, buscando entender o outro e encontrar maneiras saudáveis de convivência.

Segundo essa matéria: ” A ruptura do casamento é um momento de crise do casal e da família, um momento de desorganização, depressão, angústia, sofrimento intenso, por mais que as pessoas não queiram umas às outras, estão ligadas por filhos, bens, laços de familiares e amizades em comum que estabeleceram-se ao longo do casamento”.

Não há dúvida de que o melhor é evitar as causas do divórcio e, consequentemente, todo o consequente sofrimento.

Leia também: 8 coisas para fazer junto que protegem seu casamento do divórcio

Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.