Após 70 anos de namoro, Maria de 90 anos, e Davi de 103, não se atrasaram para seu casamento

Demorou, mas o desejado 'sim' aconteceu. Conheça o casal de idosos que movimentou uma pequena cidade do interior de São Paulo.


Caroline Canazart

Para quem está em um longo noivado e já perdeu a esperança de se casar, esse casal de Tatuí, interior de São Paulo, renova as forças para continuar tentando. Depois de 70 anos, enfim, a união foi celebrada no cartório da cidade. O noivo, Davi Bitencourt, 103 anos, e a noiva, Maria Poutrole, 90 anos, não se atrasaram e estavam elegantemente vestidos para o evento.

Segundo amigos e familiares, eles não precisaram de ajuda para entrar no cartório e o noivo só hesitou na hora de falar o “sim” por conta da surdez. Sem entender direito o que o juiz de paz havia falado, precisou de uma ajuda da amada na hora de dizer o “sim” da união.

O tão esperado casamento só aconteceu porque a aposentada e cuidadora do casal, Ana Alice Soares, 73 anos, passou os últimos dois anos preparando a documentação. Davi já havia sido casado. Ele teve um filho em São Paulo e ficou viúvo muito cedo. Depois de conhecer a agora esposa, eles começaram a morar juntos e depois de o tempo passar, não tinham dinheiro e a documentação necessária para o enlace. Alguns problemas foram adiando o casamento. A certidão de óbito da ex-esposa de Davi estava em Curitiba, por exemplo, e ele não conseguia lembrar o local exato.

O casal tem um filho, Maurício, de 58 anos, que não conseguiu participar da cerimônia por causa de uma viagem. Mas, segundo a própria mãe, era o sonho dele ver os pais casados. Algo que para muitos filhos pode ser visto mais do que apenas uma formalidade de papéis. É também um modo de afirmar que o casamento deve ser preservado com todos os rituais que há séculos mostram como as famílias podem progredir juntas.

Veja nesse artigo como uma mulher conseguiu comemorar mais de 20 anos de um casamento de sucesso.

Toma un momento para compartir …

Caroline Canazart

Caroline é uma jornalista catarinense que optou por ser mãe em tempo integral depois do nascimento dos filhos. Ama escrever e ainda acredita que pode mudar o mundo com isso.