Amor: o mais sublime dos sentimentos

O verdadeiro amor não é apenas uma parte da vida, mas a sua essência. Sem amor as coisas se tornam estéreis e mesquinhas. Na verdade, tudo o que é verdadeiramente grande nasce do amor.


Luiz Higino Polito

Sabemos que existem muitas manifestações de amor: amor a Deus, amor à mãe, amor à pátria, amor-próprio, amor romântico, e outros tipos de amor.

O amor aqui significa aquele sentimento de preocupação com a pessoa ou objeto amado, respeito, admiração, desejo que tal pessoa ou objeto amado seja engrandecido e que no caso de ser uma pessoa, que tal pessoa seja realmente feliz.

O que o verdadeiro amor automaticamente exclui

1. Ciúme doentio

No caso de o amor ser dirigido a uma pessoa, ela quer que tal pessoa amada se desenvolva, seja feliz no que gosta de fazer (as atividades que gosta), tenha amigos, liberdade, etc. Sufocar a pessoa amada por causa de ciúme doentio com medo de perdê-la pode resultar justamente no oposto do desejado, e empurrá-la para mais longe de quem tem tal ciúme doentio.

2. Intolerância e fanatismo

No caso de amor a times de futebol, partidos políticos, religião, é fácil o amor se transformar em intolerância. Deixemos que nossos parentes, amigos e desconhecidos adorem quem quiser, sejam fãs do time que quiserem, e sigam a religião que quiserem. Afinal, o que não queremos para nós (intolerância), não devemos desejar para os outros. Todos temos livre-arbítrio, e se somos adeptos de certo time, é porque temos nossas razões: nosso pai era torcedor do mesmo time, ou gostamos de certo time porque achamos melhor do que os outros.

O amor romântico

Esse é o amor que mais causa felicidade e tragédias na humanidade.

Quem nunca foi flechado pelo Cupido (deus grego do amor), e não sofreu ou foi feliz com essa “flechada”?

Desde muito novos, somos flechados por um amor platônico por aquela professora de inglês linda e maravilhosa! Sabemos ser um amor impossível, mas quanta imaginação gostosa podemos ter com esse amor só na imaginação.

Advertisement

No caso de meninas, que menina nunca se apaixonou por um professor? Existem casos de meninas e meninos que acabam por se casarem com seus professores, mas essas são situações delicadas e raras. O melhor mesmo é que tais amores sejam simplesmente platônicos (imaginários).

O amor na vida adulta

Depois que estamos na idade de verdadeiramente assumir um namoro e um eventual casamento, o amor romântico passa a ser a principal preocupação de quase todos os jovens (e mesmos adultos escaldados no primeiro amor e dispostos a acertar no segundo).

Muitos falaram de amor. Shakespeare, o grande escritor inglês, disse que “Amor, quando é amor, não se transforma, porém até o final das eras se dilata”.

Complementando o pensamento do Shakespeare, para que aumente, o amor precisa ser regado como uma planta.

Um belo hino nos ajuda a entender bem isso: o hino chama-se “Não deixeis palavras duras”. A parte do hino que mais nos interessa é essa: O amor é sempre puro… Mas lembrai que um gesto duro pode matar o amor também. Todo o hino é lindo, vale apena ouvir.

Por que alguns têm mais capacidade de amar do que outros?

  1. Quem muito é amado, tem mais capacidade de amar. Nos lares, principalmente, se sente e se aprende a ter capacidade de amar (ou não), dependendo do amor que existir no lar.

  2. Através de oração, pode-se amar mais. Orando para se ter capacidade de amar, pode-se obter mais conhecimento e poder para se amar as pessoas, mesmo para aqueles que se consideram com pouca fé. Experimentem!

  3. Precisamos QUERER amar. O desejo de amar pode nos levar a aprender a amar, procurando o bem da pessoa amada e não a sua posse. Tem um provérbio que diz que “querer amar já é amor”. Claro que precisamos juntar o desejo de amar com ações concretas e sinceras.

O amor é o mais sublime dos sentimentos. Refiro-me ao amor verdadeiro, que tem a ver com a vontade de que a pessoa amada seja realmente feliz, e não sufocada.

Se aprendermos a amar corretamente, certamente poderemos um dia encontrar a pessoa que nos fará feliz.

Advertisement

Isso não depende de beleza física (embora isso ajude no começo), pois vemos muitas pessoas que carecem de beleza física (eu me incluo), que tiveram e têm muita alegria em seus duradouros relacionamentos.

Nunca perca a esperança, e aprenda a amar. Isso já é meio caminho andado!

Toma un momento para compartir …

Luiz Higino Polito

Casado, pai de três filhos e avô de quatro netos, estudei oratória e didática. Gosto muito de escrever. Profissionalmente, sou músico e tenho um Sebo Virtual, onde vivo com minha esposa e cercado de livros!