A arte de recomeçar: Como se livrar do medo de amar

Determinar os fatores do medo de amar pode ser muito interessante na busca da autoconfiança e na superação.


Suely Buriasco

A falta de uma estrutura psíquica que permita entregar-se a um relacionamento amoroso associada a sofrimentos e abusos de confiança representa o temor de se entregar e perder o controle da situação.

É, portanto, essencial ter consciência dos medos e dificuldades no sentido de buscar se livrar deles e viver a plenitude de um amor.

Rejeição

O fracasso em relacionamentos anteriores e até mesmo o sentimento de rejeição vividos na infância e adolescência podem levar adultos a desenvolverem medo de entregar-se ao amor e, assim, tornarem-se vulneráreis. A rejeição é um forte impacto na autoestima porque a pessoa rejeitada busca uma explicação e acaba, inconscientemente, sentindo que tem algo de errado com ela mesma. A rejeição é um fator tão destruidor na vida de uma pessoa que além de medo de sofrer novas frustrações, não raramente a pessoa se envolve em emoções de mágoa e raiva.

Autoestima

Ao invés de continuar se prejudicando, o recomendável é focar no principal: você mesmo. Todos os esforços devem ser desprendidos no sentido de melhorar a autoestima; ajuda profissional é muito importante. Um terapeuta pode auxiliar muito na identificação dos motivos do medo. De qualquer forma, sempre é possível começar um trabalho de autoajuda, valorizando sinceramente a si mesmo e a vida como um todo. O culto da gratidão pelas belezas da vida é um antídoto poderoso contra a autodepreciação.

Aprendizado

Mudar a maneira de encarar as dores sofridas é muito importante; usar as experiências vividas para fortalecer-se diante da vida pode ser um grande diferencial na busca da autoconfiança. E, a partir disso, abrir-se para novas possibilidades. Trazer a questão para o racional também é interessante; poucas pessoas há no mundo que não tenham sido, de alguma forma, rejeitadas; espelhar-se nas que superaram e voltaram a amar é grande inspiração. O fato é que existe a possibilidade de transformar a dor e o medo em aprendizado e essa é a grande escolha a ser feita!

Libertação

Lembrando Martha Medeiros: “Que corajosos somos nós, que apesar de um medo tão justificado, amamos outra vez e todas as vezes que o amor nos chama, fingindo um pouco de resistência mas sabendo que para sempre é impossível recusá-lo“. O medo de amar é, pois, mais comum do que se imagina e a superação também. Para tanto, basta que se esteja disposto a enfrentar-se a si mesmo num delicado processo de autoajuda. Para curar emoções e conquistar a liberdade de amar novamente há que se confiar muito mais em si próprio do que no outro.

Sábio é o ser humano que tem coragem de ir diante do espelho da sua alma para reconhecer seus erros e fracassos e utilizá-los para plantar as mais belas sementes no terreno de sua inteligência“. Augusto Cury

Advertisement
Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.