8 maneiras de ajudar alguém com pensamentos suicida

Uma pessoa com pensamentos suicida precisa de apoio da família e amigos. Ao identificar alguém passando por este problema, não deixe de ajudá-lo(a).


Fernanda Britto Teixeira de Borba

Sendo um grande problema de saúde pública, o suicídio tem sido uma das principais causas de morte entre jovens e adultos. Isto acontece geralmente quando a pessoa deseja livrar-se de situações de sofrimento.

Tirar a própria vida não é a saída nem a solução de problemas. Aprenda oito maneiras de ajudar alguém com pensamentos suicida.

1. Busque entender sobre o assunto

Como ajudar alguém em relação a um assunto o qual você não tenha o domínio? Portanto, pesquise as principais causas, os sinais, e a possível origem destes pensamentos suicidas.

2. Ouça-o

No caso dos jovens, o diálogo é mais difícil, tendo em vista que estão constantemente conectados nas redes sociais e não estão se relacionando com as pessoas ao seu redor.

A psicóloga Ana Cláudia Foelkel Simões, alerta: “Muitas vezes, os adolescentes vêm a público – através das redes sociais – falar (ou escrever) sobre os seus pensamentos mais negativos. Estes sinais devem ser levados a sério, e não ignorados.”

Crie um ambiente propício ao diálogo, tanto no caso de jovens, quanto de adultos. Faça-o sentir-se à vontade com você, mostre confiança, assim ele se sentirá confortável para conversar.

Muitas vezes, ao passarmos por alguma dificuldade que inicialmente parecia não ter solução, o simples fato de desabafar (e alguém realmente nos ouvir), alivia nosso fardo e nos dá força para prosseguir. Assim sendo, ouça atentamente o que ele tem a dizer.

Advertisement

3. Mostre que você se importa

Quão maravilhoso é saber que somos amados e que há alguém se importando com nossa felicidade e bem-estar! Não é mesmo?

Demonstre seu amor e carinho pela pessoa e faça-a sentir-se bem em sua companhia. E expresse sua gratidão a ela por confiar seus desabafos com você.

4. Entenda, e não julgue

Tenha empatia. Esta é uma habilidade de extrema importância: colocar-se no lugar do outro, em vez de “apontá-lo o dedo”.

Desta forma, você poderá entender melhor as dificuldades e necessidades da pessoa, e ela sentirá segurança em você.

5. Estenda a mão

Coloque-se à disposição em ajudá-la no que for preciso, mostre que ela pode confiar em você.

6. Ajude-o a reconhecer motivos para continuar a viver

A dor e o sofrimento podem ofuscar momentos de alegria. Ajude a pessoa a reconhecer por ela mesma as coisas positivas. Por exemplo, leve-a a um passeio para apreciar a natureza, e crie ambientes agradáveis em família.

7. Faça-o sentir-se útil

Fique em alerta para não fazer a pessoa se sentir sufocada com suas preocupações. Por isso, tenha conversas sobre assuntos seculares, peça ajuda a ela em coisas que ela tenha facilidade e domínio, como tarefas escolares, domésticas e profissionais. Peça para ela lhe ensinar uma receita culinária, ou alguma habilidade artística que ela possui. Desta forma, ela se sentirá útil, e não excluída e esquecida.

8. Encoraje-o a buscar ajuda especializada

Persistindo os pensamentos suicidas, tenha uma conversa aberta com a pessoa que você está ajudando e incentive a buscar ajuda especializada.

O Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail, chat e Skype 24 horas todos os dias ou ligando para o número 141.

Ou, ainda, neste site, pode-se encontrar uma lista de telefones e endereços em dezenas de países.

Advertisement

O suicídio é assunto sério e deve ser debatido. Identifique sinais de que a pessoa está tendo pensamentos suicidas e não hesite em ajudá-la. Não desista e estenda a mão àqueles que se encontram em situações difíceis de serem trilhadas sem alguém ao seu lado.

Toma un momento para compartir …

Fernanda Britto Teixeira de Borba

Fernanda de Borba é estudante de Administração de Empresas, recém-casada, apaixonada por observar, calcular e escrever.