7 formas de manter-se positivo quando vivendo com uma dor crônica

Uma doença crônica pode mudar o rumo da sua vida, porém, ela também pode dar um sentido para ela. Veja como AQUI.


Caroline Canazart

A sua vida estava indo bem, nada além do que a correria do dia a dia: família, filhos, emprego, casa, cachorro, ou talvez preparativos para um casamento, uma viagem, uma mudança de escola ou de cidade. Aqueles percalços normais da vida.

Mas, de repente, tudo muda, e o mundo vira de cabeça para baixo. Um diagnóstico médico apresenta uma nova realidade, uma doença crônica. Junto com exames, idas ao médico, o medo, o desespero e a angústia começam a fazer parte da sua nova vida.

Leia também: Dor crônica – O que é e o que fazer

Depois do susto e das lágrimas, o jeito é encontrar uma forma de reiniciar e reinventar a vida. Talvez agora em companhia de um longo tratamento. Um ditado diz: “Nem sempre podemos escolher a música que a vida toca, mas podemos escolher o jeito de dançar”. Sair do canto escuro do quarto, depois de um tempo acuado, é importante para descobrir qual caminho tomar. A vida segue, e se encaixar nesse novo desafio é uma forma de superação.

Algumas pessoas conseguem transformar essa nova batalha em um propósito para continuar vivendo. Não é fácil saber que, a partir de um momento, você começará a viver com dores, remédios, mudanças radicais na alimentação ou até no seu visual, como é o caso de pessoas que passam por sessões de quimioterapia.

Judy Gann, autora do livro “The God of all Comfort: Devotions of Hope for Those Who Chronically Suffe” (O Deus de toda consolação: Devoções de esperança para quem cronicamente sofre – em tradução livre) é uma prova disso. Ela venceu um câncer de mama, sofre de fibromialgia, além de ter outras doenças autoimunes. Porém, ela pegou todo o sofrimento e transformou em algo para poder ajudar a confortar outras pessoas que também sofrem.

Georgia Shaffer, psicóloga e palestrante motivacional, também é um exemplo de vitória sobre a doença crônica. Em 1989, Georgia tinha só 2% de chance de sobreviver a reincidência de um câncer de mama. Ela perdeu o emprego e seu marido a deixou. Depois de conseguir reunir forças para refazer a vida, ela escreveu o livro “A Gift of Mourning Glories — Restoring Your Life After Loss” (Um presente da glória do luto – Restaurando sua vida depois da perda, em tradução livre). O livro é um guia para todos os que sofrem.

Advertisement

Veja algumas das sugestões que ela dá para que a fase seja passada de forma mais tranquila.

1. Ore a Deus

Conversar com Deus é o início da busca pela paz emocional e espiritual que provavelmente tenha ido embora com a descoberta da doença. A tranquilidade da oração pode fazer você descobrir qual o propósito que Deus tem para você nessa fase. Não se intimide, converse abertamente com Ele. Peça respostas por meio da bíblia e dos conselhos de outras pessoas. Talvez, esse seja o momento perfeito para iniciar um livro, por exemplo.

2. Questione-se

O que você realmente gosta de fazer? Como a sua experiência pode ajudar outros que passam pela mesma situação? Lembre-se do que você queria para sua vida quando ainda era jovem.

3. Redescubra dons e talentos

Talvez, você tenha que ficar um tempo longe do trabalho ou apenas diminuir um pouco o ritmo agitado do dia a dia. Você pode fazer do seu hobby uma ajuda para o seu próprio tratamento. Escrever, fotografar, cuidar do jardim, fazer uma aula de música ou aprender a tocar um instrumento musical, além de trabalhos manuais podem ser uma saída para deixar a mente ocupada.

4. Assuma riscos calculados

Você estará vivendo algo totalmente novo. Incluir um novo desafio também pode fazer você passar pelo momento com mais garra. Voltar para a faculdade é uma boa ideia ou começar um curso universitário também, caso ainda não tenha feito. São experiências valiosas que vão deixá-lo mais forte para a luta e com novas informações. Você terá outras coisas para pensar, além da doença.

5. Elimine relacionamentos tóxicos de sua vida

Se você tem pessoas que não trazem boas energias para você, afastasse delas. Se forem relacionamentos que a culpam pelos problemas, criticam suas escolhas e descontam seus sentimentos em cima de você, é preciso estabelecer um limite para que a sua vida siga tranquila.

6. Perdoe quem falhar com você

Com o tempo, seus amigos lhe faltaram, colegas de trabalho lhe faltaram, até mesmo sua igreja lhe faltará. Perdoe-os e siga em frente.

7. Aprenda a escolher entre “o bom” e “o melhor”

Você terá que fazer escolhas, talvez por questões físicas ou emocionais. Veja o que será mais proveitoso para sua vida. Se tiver dúvidas, pergunte para outra pessoa e veja a perspectiva dela sobre o assunto.

Compartilhe os seus dons e talentos. Ser voluntário em alguma causa é uma maneira de se sentir útil e uma forma de sair do isolamento social que uma doença crônica pode levar. A trilha que uma pessoa que sofre caminha é uma experiência muito relevante para a vida de outros que podem estar passando pelos mesmos problemas ou algo semelhante.

Leia também: Quando coisas ruins acontecem a pessoas boas.

Advertisement
Toma un momento para compartir …

Caroline Canazart

Caroline é uma jornalista catarinense que optou por ser mãe em tempo integral depois do nascimento dos filhos. Ama escrever e ainda acredita que pode mudar o mundo com isso.