7 feridas no seu casamento que você não será capaz de curar

Se você está tentando ter um casamento bem-sucedido, jamais abra estas 7 feridas, pois você não será capaz de curá-las.


Roberta Preto

Um casamento feliz e bem-sucedido não é um “mar de rosas”, longe disso, ele será repleto de “espinhos”, por isso, é necessário que os cônjuges tenham maturidade para lidar com cada “espinho” que tendem a separá-los. Todavia, a preparação e as providências positivas poderão manter esse casamento bem estruturado e assegurar-lhes a felicidade no lar, independentemente do tamanho desses “espinhos”.

De acordo com o site Huffpost estas são as 7 feridas que você não será capaz de curar no seu casamento:

1. Desprezo mútuo

O desprezo tende a ser o “falso amigo”, ele não irá afetar apenas um dos cônjuges, mas, sim, os dois parceiros, porque a pessoa que escolhe desprezar o parceiro por suas falhas, ao invés de abordar o assunto e resolvê-lo também está falhando e irá destruir seu casamento.

Procure melhorar seu parceiro, mas também tente se melhorar, pois casamento é feito de duas pessoas diferentes, mas que possuem os mesmos objetivos. Os casais que melhoram juntos, tendem a encontrar a felicidade no lar.

2. “O dono da verdade”

“Como um casal vocês precisam entender que ninguém ganha quando um de vocês sempre tem que estar certo.” (Lisa Schmidt)

O problema é que muitos só se dão conta de que nem sempre eles precisavam estar certos, quando perdem. Ser o dono da verdade pode até encher o ego, porém, irá esvaziar a relação.

Às vezes, alguns precisam agir na relação, outras vezes só precisavam esperar um pouco mais antes de agir, pois muitos agem mais por impulsos do que pela relação.

Advertisement

3. “Bater na mesma tecla”

Infelizmente, muitos relacionamentos sofrem infidelidade por parte de um dos cônjuges, essa é uma dor terrível que poucos são capazes de superar sem o divórcio.

Há casais que escolhem manter o casamento, entretanto, quando o peso da traição não pode ser superado, isso faz do lar o pior lugar para se habitar, porque o cônjuge traído relembra o pecado do parceiro em todas as discussões. A relação fica doentia e há não apenas uma lembrança ruim sendo retomada, mas também, uma ferida sendo cutucada todos os dias.

Infelizmente, as duas partes violaram os votos matrimoniais, porque um traiu, mas se arrependeu. Agora, se um dos cônjuges escolheu o caminho da reconciliação, ela tem por obrigação perdoar e deixar isso para trás, pois os filhos não merecem ouvir e nem pagar pelos erros dos pais.

4. “Segredinhos”

“Um casamento precisa ser compartilhado e aberto” (Susan Hetleir)

Todos nós precisamos de espaço e privacidade, precisamos ter nosso próprio tempo com os amigos, ler um livro e fazer algumas coisas separadas do parceiro. Ninguém tem que ficar grudado o tempo todo, pois somos cientes de que tudo que é demais acaba fazendo mal.

No entanto, é importante lembrar que casais jamais devem manter segredos um do outro, pois isso gera um abandono de valores matrimonias e provocam feridas profundas no cônjuge.

5. Ausência

“Pode ser irritante estar com alguém que é altamente evasivo” (Marni Feuerman)

A maioria dos divórcios aponta que um dos fatores que mais pesam na separação está relacionado a ausência por parte de um dos cônjuges.

Não adianta um dos parceiros retornar para casa após o trabalho, mas, ele deixa a mente e o coração na empresa. Existem também parceiros que retornam ao lar fisicamente, porém, seus olhos e coração estão presos nas redes sociais ou nas mensagens de seus celulares, enquanto que a parceira serve apenas para suprir suas necessidades. E os filhos, lamentavelmente, tornam-se “enfeites de natal” que muitos usam não pelo valor natalino, mas, sim, para mostrar que possuem os enfeites, assim são os filhos, também usados para enfeitar a “família” para as pessoas de fora do lar.

6. Narcisista

Um dos piores parceiros para se relacionar são os narcisistas. A relação costuma ser problemática desde o início e dificilmente irá perdurar, porque o narcisista é egoísta ao extremo. Ou seja, ele jamais lhe dará o que é bom, jamais demonstrará seu verdadeiro amor, porque isso ele costuma guardar para si mesmo, mas, ele sempre irá sugar tudo de você, também irá lhe culpar pelos fracassos e lhe deixará viver apenas de migalhas.

Advertisement

7. Abrir mão de si mesma

“É problemático se um de vocês prefere manter suas emoções engarrafadas.” (Marie Land)

Há um número crescente de parceiros egoístas que sugam os valores das parceiras, também as aprisionam de uma forma que elas ficam impossibilitadas de se expressarem, tornam-se frustradas e isso tende a ser um dos fatores irreparáveis na relação.

Todos nós nascemos com traços de personalidades diferentes, e, ao longo da vida adquirimos muitos hábitos. São esses os motivos que nos tornam diferentes e tão especiais. Quando nos relacionamos tendemos a nos esforçar para nos adaptar com essas diferenças e desenvolvemos novos costumes pelo bem-estar da relação, mas, jamais devemos abrir mão de nós mesmos por nada e nem por ninguém.

Toma un momento para compartir …

Roberta Preto

Roberta Preto, 33. Formada como tradutora e intérprete, escritora, mãe. Apaixonada pela vida, em uma eterna busca por conhecimento. Espero que minhas palavras possam ser uma luz na vida das pessoas. Sonho em ajudar a humanidade a tornar-se livre da escravidão da ignorância.