5 sinais de que a carne bovina está estragada (mesmo sem parecer)

A carne pode parecer boa, mas não está. Veja estes sinais importantes na hora de comprar.


Rachel De Castro

Após o escândalo da operação “carne fraca”, os brasileiros estão com receio de comprar carne com medo que de ela esteja alterada ou até mesmo estragada. Segundo o R7, o varejo paulista já percebeu redução nas vendas de embutidos de carne e carne in natura.

Pedro Eduardo de Felício, da faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, explicou ao BBC que a polícia agiu mal com relação à divulgação das informações da operação Carne Fraca.

Segundo a engenheira de alimentos, Carmen Castillo, da USP, alguns ingredientes citados na operação “são necessários para o processamento dos alimentos e é preciso tomar cuidado para não demonizá-los”.

“Não é problema usar esses ingredientes (em alimentos processados e embutidos), o problema é não respeitar os níveis permitidos na lei”, disse à BBC Brasil.

A polícia descobriu que as empresas, JBS e a BRF, utilizavam esses ingredientes acima da quantidade permitida na regulamentação. Assim, eles conseguiam maquiar o aspecto físico do alimento estragado ou com mau cheiro.

A operação também descobriu esquema de propinas que supostamente liberava carnes vencidas e adulteradas.

Carnes estragadas podem transmitir doenças como o E-coli e Salmonella, o que causa intoxicação. O Centro de Referência da Pecuária Brasileira – Zebu (CRPBZ) listou alguns passos para identificar uma carne estragada:

Advertisement

1. Cor da carne

A cor da carne pode indicar se a carne está estragada ou não. É importante checar a data de validade, mas uma carne estragada não precisa ter passado da data de validade para estar estragada.

A cor ideal da carne é de vermelho púrpura, cor de sangue. Mas em contato com o ar, ela pode ficar mais escura. Dependendo do tipo da peça, a cor varia. Evite carnes com cor muito escura ou de vermelho brilhante. Cores pretas ou verdes na superfície da carne é um sinal de que bactérias começaram a crescer.

2. Cheiro

O cheiro é o fator mais importante. Segundo a rádio CBN, especialistas dizem que é muito difícil disfarçar o cheiro de uma carne estragada. Muitas carnes são vendidas embaladas, então o consumidor pode comprar a carne e assim que chegar em casa deve lembrar de cheirá-la. Se a carne tiver com um cheiro de ranço, mofo ou qualquer cheiro desagradável, ela não deve ser consumida.

3. Textura

A carne não pode ter uma textura viscosa ou pegajosa. Segundo o CRPBZ, isso é sinal de que bactérias estão começando a se multiplicar sobre a superfície da carne.

Mesmo após preparada, deve-se checar se a carne possui pedaços viscosos. Pedaços viscosos e manchas no interior indicam que a carne está ruim.

4. Temperatura

No mercado, verifique se o lugar de armazenamento da carne é apropriado e se tem uma temperatura baixa. A temperatura é de extrema importância para manter a carne fresca. A carne nunca deve ser mantida em um ambiente quente. A temperatura deve sempre ser inferior a 7 graus.

A rádio CBN informou que o consumidor também deve tomar cuidado na maneira que refrigera a carne em casa. Manter a carne na geladeira por 2, 3 dias pode sofrer uma contaminação, já que a temperatura de uma geladeira em casa pode não ser ideal.

5. Data de fabricação

Prefira comprar uma carne mais próxima da data de fabricação do que da data de vencimento.

Se você comprou uma carne e percebeu que ela está ruim, leve o produto com o recibo de volta ao supermercado.

Toma un momento para compartir …

Rachel De Castro

Rachel De Castro é esposa e escritora com formação em ciência política. Acredita que o mundo já tem críticos demais por isso decidiu motivar e inspirar pessoas.