5 sentimentos que você não deveria ter quando está apaixonada

Quando a pessoa está apaixonada ela se sente maravilhosamente bem. O mundo fica cor de rosa. A vida lhe sorri. Mas pode existir algum perigo nisso?


Luiz Higino Polito

Não existe nada melhor do que estar apaixonado e ser correspondido numa paixão: Nos sentimos mais fortes, mais confiantes, mais felizes e mais esperançosos com o futuro.

Tudo fica mais bonito, e junto com a pessoa amada, então, parece que o céu desceu na terra.

Quimicamente, nosso cérebro libera mais dopamina:

O neurocientista Renato Sabbatini, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas, diz numa entrevista:

“O mecanismo cerebral é idêntico ao de se viciar em cocaína” (quando estamos apaixonados). O “barato” é tão forte que o apaixonado pede a Deus – ou aos astros ou a quem quer que seja – que dure para sempre”.

Noutro estudo, percebeu-se que nos apaixonados “A serotonina, que tem efeito calmante e nos ajuda a lutar contra o estresse, diminui em cerca de 40%.” Isso “chamou a atenção da pesquisadora Donatella Marazziti, da Universidade de Pisa.

Para Donatella, isso explicaria o pensamento incontrolável, algumas atitudes insanas, quase psicóticas, e a fixação numa única pessoa na fase aguda.”

Advertisement

Não é sem razão, portanto, que dizemos que a pessoa apaixonada fica boba, cega e surda para tudo o que não seja dito ou feito pela pessoa amada…

Tanto é, que uma pessoa desconhecida escreveu que “Não há diferença entre um sábio e um tolo quando estão apaixonados”.

E é aí que mora o perigo. Com tal química agindo em nosso cérebro, temos de ser fortes para não ter sentimentos que possam nos trazer sofrimentos, tais como os que alistamos abaixo:

1. Surdez da paixão

O Marquês de Maricá disse, certa vez, que “Os bons conselhos desagradam aos apaixonados como os remédios aos que estão doentes.”

E não prestar atenção ao que dizem nossos pais, irmãos, amigos e outras pessoas que que nos alertam de alguma coisa errada com o relacionamento, pode nos fazer entrar numa tremenda “fria”.

2. Paixão proibida

Dizem que ninguém tem controle da paixão, mas isso não é verdade. Podemos até sentir atração por pessoas casadas, mas temos plenas condições de bloquear isso, antes que se transforme em algo mais sério.

Se apaixonar por pessoas casadas ou por pessoas comprometidas de alguma forma, com certeza não vai acabar bem e pode trazer muito sofrimento para todos os envolvidos.

3. Querer que a paixão dure para sempre

A paixão fulminante dura um certo tempo, depois vai se acalmando, dando lugar a um companheirismo e pode se tornar um verdadeiro amor, mais calmo, porém, duradouro.

Tem pessoas, porém, que são “viciadas” nos sentimentos da paixão, e terminam seus relacionamentos quando aquele frenesi acaba.

Vemos muito isso nos divórcios de pessoas famosas, que se separam por qualquer bobagem, provavelmente quando acaba aquela fase da paixão.

Advertisement

O que pode durar para sempre é o amor e o companheirismo.

4. Ter ciúme doentio

Em muitos casos, a pessoa apaixonada pode desenvolver um ciúme doentio pela pessoa amada. Isso com certeza fará mal ao relacionamento. E o apaixonado nunca percebe que está sendo exagerado no seu ciúme.

5. Precisar mentir

A mentira é um mau começo em qualquer relacionamento, e pode destruir (ou esfriar) a paixão de um dos dois, quando descoberta.

Um dos perigos da mentira é você querer aparentar uma pessoa que você não é, para agradar a pessoa amada.

Nunca deixe de ser você mesmo. Não é possível manter uma máscara indefinidamente, principalmente se você quer que seu relacionamento tenha futuro.

Vimos acima alguns perigos da paixão.

Mas isso não deve nos desencorajar ou temer ficar apaixonado, o que é um dos mais belos sentimentos da alma.

Podemos nos apaixonar quando jovens e também quando mais maduros. Nem sempre uma segunda paixão é igual à primeira, ou vice-versa.

A paixão mais bonita é aquela que se transforma em amor duradouro, trazendo a felicidade tão procurada.

Toma un momento para compartir …

Luiz Higino Polito

Casado, pai de três filhos e avô de quatro netos, estudei oratória e didática. Gosto muito de escrever. Profissionalmente, sou músico e tenho um Sebo Virtual, onde vivo com minha esposa e cercado de livros!