5 brincadeiras para divertir a família dentro do carro

Brigas e tédio nas viagens podem acabar. Estas 5 ideias de brincadeiras com crianças e adolescentes vão lhe dizer como.


Michele Coronetti

Levar as crianças no carro pode ser uma tarefa desafiadora para alguns pais. Ao menos era para mim, que não gosto muito de dirigir e perdia a concentração ao volante por querer atender suas necessidades e parar suas brigas.

As crianças são diferentes e talvez fiquem muito quietas assistindo ao vídeo passado na telinha do carro durante o trajeto. Ou podem estar tão inquietas que nem o filme é capaz de reter sua atenção. Ou ainda elas não se sintam muito bem com o movimento do carro e a atenção em um dispositivo eletrônico, causando enjoos.

Leia: 5 dicas para viagens de carro com crianças pequenas

Algumas brincadeiras que podem ser realizadas durante os trajetos curtos ou longos podem amenizar a situação estressante, acalmar e divertir as crianças e ainda desenvolver algumas áreas do intelecto dos pequenos e, porque não, dos pais.

1. Fui à feira e comprei..

Esta brincadeira que estimula a memória de crianças e adultos, também pode ensinar a respeito de alimentos desconhecidos, ampliando o conhecimento. É divertida e existem várias versões. A primeira pessoa começa dizendo a frase e uma fruta, verdura ou legume com a letra A, como acerola por exemplo. Estar preparado para explicar sobre frutas e legumes desconhecidos das crianças é ótimo! A pessoa à direita ou esquerda do primeiro então diz a frase e acrescenta algo com a letra B “Fui à feira e comprei acerola e butiá“. A próxima pessoa diz toda a frase, lembrando das anteriores e acrescentando mais uma com a letra C, como cupuaçu. O ciclo continua e volta para a pessoa que iniciou, sempre lembrando de toda a lista anterior, até terminar o alfabeto. Se a vigem acabar antes, poderá continuar de onde parou no retorno. Outras frases como “Fui ao zoológico e vi uma Ariranha” e continuar com animais também são muito divertidas.

2. Fui viajar e levei..

Nos mesmos moldes da brincadeira anterior, o primeiro integrante escolhe algo que gostaria de levar para uma viagem e fala a frase: “Fui viajar e levei um livro”, por exemplo. A pessoa a seu lado repete a frase e inclui um novo objeto cujo nome começa com a última letra do objeto escolhido pela pessoa anterior: “Fui viajar e levei um livro e óculos”. O próximo repetirá a lista e incluirá algo com a letra S, sabonete por exemplo. E a brincadeira segue até o destino.

3. Histórias da Carochinha

Tem como foco estimular a imaginação e visão. Um objeto pode ser utilizado, como uma bolinha, caneta ou qualquer outra coisa. Quem começa segura o objeto, olha pela janela e inicia uma história com algo que viu. Por exemplo: “Era uma vez uma placa de trânsito que limitava a velocidade a 60km por hora”. Ele passa o objeto para a outra pessoa que dará continuidade ao conto: “Esta placa estava com muita poeira e se sentia muito solitária, apesar de tantos carros passarem por ela. Ninguém sequer lhe acenava…”. A terceira pessoa recebe o objeto e continua: “Um dia uma senhora muito bondosa passou andando naquela estrada e ficou com pena da placa suja e rejeitada. Ela então tirou um lencinho umedecido da bolsa e limpou sua poeira”. E para finalizar, o último integrante do veículo capricha no desfecho: “A placa então tirou uma selfie e atualizou sua foto de perfil no Facebook. O objetivo é este mesmo, imaginação, criatividade e muita risada.

Advertisement

4. Quem canta seus males espanta

Aqui uma pessoa pensa em uma palavra que esteja em uma canção. Depois de declarar o termo escolhido, como casa por exemplo, quem se lembrar de uma música que tenha casa começa a cantar “Era uma casa muito engraçada…” e todos participam cantando juntos até o final da canção. Estimular estes pequenos talentos é divertido e promove maior união entre todos.

5. Pequenos Einsteins

Alguém escolhe um número simples (1 a 9 por exemplo) e começa a brincadeira. Se o número escolhido for 6, a pessoa seguinte falará 12, e a próxima 18. Estabelecer um limite para o último número dá a oportunidade de aprender várias tabuadas, como por exemplo, até o número mais próximo a 100. No caso do 6, o último número seria 96. Crianças muito pequenas podem ter dificuldade para entender esta brincadeira, mas se já conhecem os números e sabem contar nos dedos é só ensinar a contar mais 6 números além do último falado.

Leia: 10 dicas para dedicar mais tempo à família

Aproveitar momentos com quem amamos não requer muito esforço. Basta algumas ideias interessantes e tempo. Como o último item anda muito escasso, aproveitar os poucos minutos juntos em trajetos no veículo é uma boa opção.

Toma un momento para compartir …

Michele Coronetti

Michele Coronetti é secretária, mãe de seis lindos filhos, gosta de cultura e pesquisas genealógicas.