4 erros comuns dos cônjuges em crise que você pode evitar

Se existe uma crise é preciso encontrar formas de não agravá-la ainda mais. Nisso pode estar a solução que você procura para salvar o seu casamento.


Suely Buriasco

A falta de paciência tem se alastrado no mundo moderno e os relacionamentos, infelizmente, sofrem muito com isso. Não é exagero afirmar que um dos motivos mais comuns do sofrimento humano está ligado aos problemas de relacionamento, no entanto, as pessoas nem sempre dão a essa questão a importância merecida. Muitos cônjuges se acomodam em situações desagradáveis e procrastinam o enfrentamento da realidade. Assim, a crise se instaura, muitas vezes, de forma letal para o relacionamento.

Mas, como saber se o casamento está em crise? Esta psicóloga responde: “Quando as conversas (mesmo as mais simples) estão terminando em brigas, ou somente um dos parceiros se impõe na tomada de decisões relativas ao casal pode ser sinal de que a relação está sendo unilateral, provocando ressentimentos, raiva, e outros sentimentos negativos em um dos companheiros”.

O maior problema é que não enfrentando a situação de forma a encontrar soluções ou possíveis acordos, os cônjuges, insatisfeitos, acabam agravando ainda mais a crise. Se isso tem acontecido com vocês, observe alguns erros comuns que podem ser evitados em favor de harmonizar o seu casamento:

1. Insistir no mesmo argumento

Se você está em um buraco, tudo o que não precisa fazer é continuar cavando. Se o que você tem feito não tem dado resultado, qual a razão para insistir nisso? Você fala, não adianta, então você grita a mesma coisa… Não vai funcionar. Sob pressão tendemos a repetir ações fracassadas, você precisa barrar isso o quanto antes. Melhore os seus argumentos, busque formas diferentes de lidar com o que está acontecendo.

2. Entrar em guerra de egos

Seu parceiro faz algo que você não gosta e você revida. Disputar quem pode magoar mais é alimentar um círculo vicioso que, em algum momento, vai provocar uma ruptura fatal. Você já assistiu “A Guerra dos Roses“? Eu gosto de indicar esse filme porque é preciso perceber o quanto o ego pode nos colocar em situações vexatórias e de grande sofrimento.

3. Agir com inflexibilidade

Se não buscamos compreender as coisas pela perspectiva do outro nos tornamos inflexíveis e teimosos. Simplesmente nos fechamos para qualquer tipo de entendimento. Diante de uma crise o mais sensato é “calçar o sapato do outro”, ou seja, procurar entender o que move o parceiro, quais suas razões, seus medos, seu ponto de vista. A empatia é fundamental para os relacionamentos saudáveis e duradouros.

4. Justificar os próprios erros

Não basta reconhecer a sua responsabilidade no conflito; é preciso pedir desculpas claramente e não recair na ação. Veja bem, não se trata de justificar os comportamentos pelos quais você se arrepende e sim de, realmente, pedir perdão por eles. Então não considere que as ações do seu cônjuge justificam os seus erros. Vale lembrar que se trata de um pedido de desculpas e não de novas cobranças.

Advertisement

Um casamento em crise é uma bomba que pode detonar a qualquer momento, por isso todo comportamento deve ser repensado e novas estratégias devem ser aplicadas. Você não vai resolver essa situação enquanto notar o comportamento do outro, mas, se você olhar para si mesmo, avaliando o que é, realmente, prioridade em sua vida, a mudança começará a acontecer.

Toma un momento para compartir …

Suely Buriasco

Mediadora de Conflitos, educadora com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, apresentadora do programa Deixa Disso com dicas de relacionamentos. Dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”.