12 características de um psicopata – Você conhece alguém assim?

Inicialmente a pessoa pode parecer muito agradável e encantadora, mas por trás daquela aparência pode estar se escondendo uma pessoa fria e sem escrúpulos.


Renata Finholdt

No ano de mil novecentos e noventa e um, um psicólogo canadense chamado Robert Hare desenvolveu, após anos de estudos, uma escala capaz de avaliar se uma pessoa é ou não um psicopata. Após novas pesquisas e algumas revisões, no ano dois mil a escala de Hare, como passou a ser conhecida, passou a ser utilizada por médicos psiquiatras a fim de reconhecer com precisão tendências psicopatas em seus pacientes.

Para aplicar a metodologia da escala, os médicos classificam cada item de zero a dois, e a soma total dos itens é a indicação do grau de psicopatia que o indivíduo apresenta.

A psicopatia, considerada uma doença mental, é caracterizada por comportamentos estranhos e pouco sociáveis, se bem que inicialmente um psicopata pode se apresentar encantador e aos poucos mostrar sua verdadeira personalidade.

Neste sentido, muitos casamentos podem acontecer, já que inicialmente a pessoa doente se esconde atrás de uma personalidade que não é a sua, e com o passar dos meses, e até anos, vai mostrando quem realmente é, causando dor e sofrimento ao cônjuge e familiares. Com o propósito de conhecer melhor o futuro companheiro, o namoro pode proporcionar um tempo de avaliação e reconhecimento de quem realmente a pessoa é, evitando problemas mais graves no futuro.

Vamos a escala de Hare e suas classificações de comportamento:

1. Boa lábia

Um psicopata pode enganar facilmente as pessoas porque age como um ator, contando grandes histórias sobre si que impressionam todos a sua volta.

2. Ego inflado

Suas opiniões e ideias são sempre as melhores. Acredita que não precisa da opinião dos outros, uma vez que ele é o maioral.

Advertisement

3. Lorota desenfreada

Mente tanto que às vezes nem percebe que está mentindo

4. Reação estourada

Tem reações estouradas quando se sente ofendido ou ameaçado, muitas vezes reações desproporcionais ao fato e logo em seguida está calmo como se nada tivesse acontecido.

5. Sede por adrenalina

Não se conforma com a monotonia, está sempre buscando adrenalina. Isso serve para relacionamentos, trabalhos ou vida social. Algumas vezes se envereda por caminhos errados como drogas e álcool.

6. Impulsividade

Vive o agora e age por impulso sem se preocupar com as consequências de seus atos.

7. Falta de culpa

Um psicopata não se sente culpado por nada, não se arrepende de seus atos e mostra frieza em relação ao sofrimento alheio.

8. Sentimentos superficiais

Pode se mostrar um romântico da boca para fora quando quer, mas é incapaz de demonstrar com atos algum bom sentimento.

9. Comportamento antissocial

Não respeita regras de convívio social. É completamente indiferente às outras pessoas.

10. Falta de empatia

As pessoas, para um psicopata, são apenas meios de conseguir seus objetivos impulsivos, nada mais. Não se comove com a dor alheia e tampouco demonstra sentimentos de afeto ao próximo

11. Má conduta na infância

Normalmente apresentam problemas já por volta dos dez ou onze anos, se envolvendo com pequenos roubos ou uso de drogas.

12. Irresponsabilidade

De uma forma geral, um psicopata não é responsável em nenhum aspecto de sua vida, seja profissional, familiar ou amoroso.

Advertisement

Após analisar cada item e conhecer o histórico pessoal do paciente, o psiquiatra, com o uso da escala de Hare, consegue avaliar o grau de psicopatia do indivíduo. Vale ressaltar que, um tratamento médico é possível também para os casos de psicopatia, mas apenas o médico é quem poderá indicar a forma e o melhor tipo de tratamento.

Se você reconhece e teme que seu cônjuge possua algum grau de psicopatia, converse com um psicólogo ou psiquiatra, para que ele possa lhe indicar uma boa forma de lidar com o problema e iniciarem juntos o tratamento.

Toma un momento para compartir …

Renata Finholdt

Renata Finholdt é formada na área de Recursos Humanos com enfâse em treinamentos.