10 sugestões para se aproveitar o tempo da melhor maneira possível

Se você não fizer um plano de como irá aproveitar o seu tempo, outras pessoas o farão por você, e no final do dia você sentirá que não fez nada do que gostaria de ter feito.


Luiz Higino Polito

Edwin C. Bliss, Consultor de Gerência de Empresas e Conferencista, já deu muitas palestras sobre como podemos aproveitar melhor o nosso tempo, e escreveu o livro “Como Conseguir que as coisas sejam feitas”, sugerindo 10 coisas que podem nos ajudar neste desafio:

1. Planejar

Edwin Bliss diz para começarmos o dia fazendo um esquema geral, destacando duas ou três coisas que achamos serem de mais importância para executarmos naquele dia. Ele alerta que é consenso o fato de que quanto melhor planejarmos alguma coisa, o tempo que levaremos para executar tal coisa será bem menor.

2. Concentrar-se

Tentar fazer muitas coisas ao mesmo tempo pode atrapalhar nossos planos, fazendo com que não façamos bem coisa alguma. Concentrarmo-nos ininterruptamente numa única coisa até terminá-la funcionará muito melhor do que se ficarmos tentando fazer muitas coisas a prestação ao mesmo tempo.

3. Fazer pausas

Quem trabalha com computador sabe que o ideal para se fazer pausas é de 50×10: isto é, trabalhar 50 minutos e descansar 10. Essa pausa pode ser ocupada com exercícios, caminhada ou alguma outra coisa que seja diferente do trabalho, mas o melhor mesmo é descansar. Essa pausa, que pode variar de tamanho dependendo da situação, evitará o cansaço físico, o tédio e o decréscimo de energia, e quando voltarmos ao trabalho, estaremos revigorados.

4. Evitar a desordem

Tem gente que acha que uma mesa entulhada e desorganizada é sinal de produtividade. Edwin Bliss aconselha o contrário: devemos organizar nossa mesa de trabalho (ou nossos equipamentos e ferramentas), de maneira que fiquem numa “hierarquia de prioridade”. Por exemplo: existem as situações que precisam de providências imediatas, outras têm uma prioridade menor e outras podem ficar pendentes para outro dia ou outra hora. O que for mais urgente, devemos colocar bem no centro da mesa, e todo o restante, fora de nossa vista. Podemos nos concentrar numa só coisa de cada vez, e se ficarmos com um monte de coisas na cabeça ou com um monte de papéis sobre a mesa, teremos a sensação de que estamos “soterrados”.

5. Não ser perfeccionista

É diferente querermos fazer uma coisa de forma ótima, ou tentarmos fazer alguma coisa de forma perfeita. O primeiro caso é possível de ser alcançado e nos sentiremos bem; o segundo é quase impossível e pode provocar frustações e neuroses. Uma carta, por exemplo, se tiver um errinho que pode ser consertado, não precisará ser feita inteira de novo, porque será lida apenas uma vez e guardada num arquivo pelo destinatário, ou irá direto para o lixo.

6. Não ter medo de dizer não

Edwin Bliss diz que o uso da palavra “não” talvez seja a melhor maneira de economizarmos tempo! Ter a coragem de dizer não quando é necessário, sem ser muito agressivo, poderá ser uma grande ajuda para que tenhamos tempo para nos concentrarmos nas coisas que são prioritárias. Se vivermos sempre dizendo “sim” a tudo o que nos pedem, estaremos vivendo a agenda alheia e não a nossa.

Advertisement

7. Não adiar

“Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje” é um bom guia para nós. Quanto menos adiarmos aquilo que precisa ser feito, melhor nos sentiremos com o que realizamos. Outra coisa: fazermos as coisas mais difíceis primeiro poderá nos deixar mais relaxados e assim poderemos fazer as outras coisas que precisam ser feitas com mais tranquilidade.

8. Aplicar “cirurgia radical”

Atividades que nos levam a perder tempo demais só tendem a aumentar: por isso precisam ser cortadas de uma forma radical. Se nós fazemos coisas que nos tomam tempo demais e não nos dão a sensação de realização e contentamento, precisamos ter a força de cortá-las radicalmente.

9. Delegar

Não é preciso que sejamos executivos em alguma grande empresa para delegarmos tarefas: as mães podem delegar tarefas compatíveis com a idade para seus filhos, elogiando-os quando terminarem a tarefa. Não espere perfeição. Elogie cada progresso, por menor que seja. Não delegue coisas que nem você quer fazer, pois isso não é delegar, mas sim transferir. Delegue coisas estimulantes e depois de delegar, permita que façam o que você delegou sem que você fique atrapalhando, senão isso de nada adiantará para ninguém.

10. Não ser ergomaníaco

Viciados em trabalho (ergomaníacos) trabalham demais e esquecem as coisas mais importantes da vida, como família e amigos. Trabalhar bem é uma virtude, mas trabalhar demais é um vício (workaholic), quase igual a um vício com o do álcool. Sintomas de ergomania incluem recusa de se tirar férias, incapacidade de se desligar do trabalho nos fins de semana, pastas abarrotas de serviço e familiares que se tornam quase estranhos. Outra coisa que pode ser afetada pela ergomania é a saúde.

A família deve vir em primeiro lugar, pois como muita gente já ouviu falar, “Qualquer outro sucesso na vida não compensa o fracasso no lar”. (Frase muito citada por um grande líder religioso, David Mckay).

Acima de tudo o que foi dito, o autor diz que devemos ter “consciência de que o dia de HOJE é tudo o que temos de fato, para fazermos as coisas”. Ele cita, para terminar, uma frase de um autor anônimo, que diz:

“Ontem é (como) um cheque cancelado.

Amanhã é uma nota promissória.

Hoje é o dinheiro na mão: Use-o!”

Toma un momento para compartir …

Luiz Higino Polito

Casado, pai de três filhos e avô de quatro netos, estudei oratória e didática. Gosto muito de escrever. Profissionalmente, sou músico e tenho um Sebo Virtual, onde vivo com minha esposa e cercado de livros!