10 dicas para sobreviver aos primeiros dois meses de um recém-nascido

Sabemos que você tem muitas preocupações no que se refere ao seu bebê, por isso separamos 10 dicas para você desfrutar de momentos tranquilos com seu bebê, confira:


Jarleyde Andressa Sales de Oliveira

Há poucos meses, você descobriu que estava grávida. Você ficou tão feliz, que sua vontade era a de gritar aos quatro ventos essa notícia maravilhosa. Você deve ter tido seus altos e baixos na gravidez, sua maior ansiedade estava concentrada na hora de ver o rostinho de seu bebê e pegá-lo nos braços. E quando isso aconteceu, você ficou radiante! Porém, as coisas não funcionaram como você e sua família haviam planejado, não é mesmo? Claro que você sabia dos choros intermináveis, das noites de sono que seu bebê cobraria e das horas do banho, então, com certeza já tinha ideia de que não seria tão fácil.

Sabemos que você tem muitas preocupações, além dessas que descrevemos aqui, e que você tem se esforçado muito para criar um ambiente propício ao mais novo integrante da família. Mas isso tem exigido muito? Você acha que não vai sobreviver ao recém-nascido? Calma! Nós temos 10 dicas para ajudá-la a cuidar do seu novo bebê e de si mesma, pois “quando nasce um bebê, nasce com ele uma mãe.”

1. Cuidados com a amamentação

nos primeiros dias, procure amamentar o recém-nascido pelo menos oito vezes ao dia. Se o bebê chora, achamos logo que ele está com fome, mas devemos verificar se não é frio, fralda cheia, calor, cólicas, etc.

2. Peça ajuda

não pense em fazer tudo sozinha. Às vezes, outros parentes e amigos gostariam de ajudá-la, mas eles não sabem se você está precisando. Até porque você quer mostrar para todos o quanto é capaz. Não tenha receio de pedir ajuda, isso é saudável para todos.

3. Durma sempre que puder

quando o seu bebê dorme, esse é o momento ideal para você descansar. Não precisa ficar vigiando o sono do bebê, nenhum alienígena entrará no quarto e o levará no pouco tempo em que você descansa. Fique tranquila e relaxe sempre que for possível.

4. Hora do banho

essa tem sido uma tarefa difícil? Há bebês que gritam e não gostam muito da hora do banho. Verifique se a água está na temperatura ideal e procure a posição preferida de seu bebê para o banho, comece molhando pequenas partes do seu corpo para que ele se acostume à temperatura da água e não demore mais que o necessário. Além disso, seu bebê não precisa de muitos banhos por dia.

5. Vacinas

seu bebê precisa tomar algumas vacinas, muitas vezes elas estão indicadas na carteira de identificação do bebê. Não atrase essas vacinas, elas são necessárias. Algumas delas deixam o bebê com febre e muito choroso, por isso algumas mães (com dó do bebê) atrasam o esquema vacinal da criança. Isso nunca deve acontecer, há vacinas que precisam ser tomadas na idade certa para imunizar seu bebê. Uma dica importantíssima é não balançar muito a criança após ela tomar uma vacina, pois a área fica dolorida e balançá-lo só fará doer mais.

Advertisement

6. Identificar dores

um dos motivos do choro do bebê são as dores, que podem ser no ouvido, na cabecinha, na barriga, etc. Como identificar? Geralmente, o bebê tende a chorar mais forte quando tocamos determinada parte do seu corpo. Para saber onde exatamente dói, devemos tatear seu corpo e verificar se o bebê chora ou se a intensidade do choro aumenta.

7. Hora de dormir

você precisa ajudá-lo a diferenciar a hora da soneca da hora de dormir. Durante o dia, procure deixar o ambiente iluminado e com barulhos rotineiros de sua vida em casa. À noite, crie uma atmosfera mais aconchegante e mais silenciosa. Muitos bebês adoram músicas, também procure uma posição segura e confortável para o sono e cuidado com objetos em demasia no berço. Cuide para o seu bebê ter um sono tranquilo, e você também.

8. Pediatra

seu bebê terá que ir ao pediatra todos os meses para o acompanhamento de seu desenvolvimento e prevenção de algumas doenças que seu bebê pode vir a ter. O ideal é você ter um médico de confiança, que a deixe tranquila.

9. Converse com outras mães

as mulheres que já passaram pelo que você está passando podem ajudá-la dando orientações e conselhos valiosos. Elas já têm certa experiência no cuidado com os pequenos. Essa conversa pode ser pessoalmente ou através de blogs e redes sociais.

10. Confie em seus instintos

muitas vezes, você vai ter que confiar em seus instintos maternos para dar conforto ao seu bebê e a você mesma. Todos os bebês são diferentes, e você é a pessoa mais qualificada para cuidar dele. Confie em seus instintos e você vai saber o que fazer.

Seguindo essas sugestões, você e seu bebê terão momentos maravilhosos juntos. E poderão aproveitar melhor a companhia um do outro. Afinal, vocês merecem!

Toma un momento para compartir …

Jarleyde Andressa Sales de Oliveira

Jarleyde Oliveira é graduada pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, é professora de crianças e adolescentes - Matemática.