Após seu filho de 7 meses morrer asfixiado no berço, esta mãe implora para que outros pais não cometam o mesmo erro

"Sinto muita culpa. Nunca serei capaz de me livrar da sensação de que havia algo mais que eu poderia ter feito para evitar sua morte".

37,046 views   |   43 shares
  • A família DeRosier, de Washington, nos Estados Unidos, passou por uma dor de dilacerar o coração na semana passada. Perderam tragicamente o bebê Sloan, que morreu asfixiado acidentalmente por um cobertor dentro do berço. A asfixia acidental é uma das causas da Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSI).

  • Muito corajosamente, Jordan DeRosier (30), a mãe do menino, usou o Facebook para contar o que aconteceu e deixar um alerta para todos os pais: "Por favor, não coloquem seus bebês no berço com um cobertor. Por favor!"Seu alerta viralizou rapidamente; e foi muito necessário, pois, segundo estudos feitos nos Estados Unidos, 55% dos bebês estão dormindo em situações que favorecem a morte súbita. Em 2010, houve mais de 2 mil mortes.

  • Advertisement
  • Surgiram especulações sobre a morte do bebê nas redes sociais

  • A mãe percebeu que havia pessoas atribuindo às vacinas que o bebê havia tomado a culpa por sua morte. Para desfazer qualquer equívoco, ela resolver abrir tudo o que aconteceu. "Não vou deixar ninguém colocar a culpa em algo que não causou isso", disse ela.

  • Ela conta como tudo aconteceu

  • Segundo a People, no último dia 2, Jordan colocou seu bebê para dormir no berço com uma manta feita por sua bisavó e outra manta cinza que ele tinha desde que nasceu. A mãe relata que, de alguma forma, Sloan puxou o cobertor pelas grades e ele ficou enrolado em sua cabeça. Ela o encontrou pela manhã "gelado", com pele roxa e os lábios azuis.

  • Em uma publicação que fez no Facebook no último dia 6 - que não está mais aberta ao público - ela contou, segundo a People: "Fui eu que encontrei o Sloan. Fui tirá-lo do berço às 9h48, abri a porta e notei que ele estava deitado de bruços com seu amado cobertor ao redor da cabeça. Eu o puxei, toquei suas costas e senti que ele estava gelado". Ela, então, chamou o marido aos gritos, desesperada com a possiblidade de seu filho estar morto. O marido, Justin (32), ligou para a emergência e os paramédicos chegaram, mas não puderam fazer mais nada.

  • "Sinto muita culpa. O que eu poderia ter feito melhor? Eu poderia salvá-lo? Nunca serei capaz de me livrar da sensação de que havia algo mais que eu poderia ter feito para evitar sua morte", desabafa a mãe.

  • Como as pessoas reagiram à sua publicação

  • Ela tem recebido milhares de mensagens de pais dizendo que, depois de lerem a sua história, tiraram o cobertor do berço.

  • Ela postou no Facebook: "Quando compartilhei a história de Sloan, era simplesmente para aumentar a conscientização e corrigir certas especulações. Eu queria poupar outros dessa dor, informando-lhes sobre a segurança do berço. NUNCA imaginei que a história de meus filhos se espalhasse pelo mundo. Não fazia a menor ideia de que poderia fazer diferença. (...) Fazer minhas palavras ecoar e ler as mensagens de apoio e de amor também foi terapêutico para mim". Ela tem mais um filho, Rowan, de 3 anos.

  • Advertisement
  • Mas, alguns comentários cruéis lhe causaram ainda mais dor

  • Ela desabafou: "Infelizmente, cheguei a um ponto no meu processo de luto, em que eu não sinto mais a segurança em me abrir publicamente. Os últimos dois dias foram muito difíceis para mim emocionalmente, as visitas estão diminuindo, há períodos de tempo mais e mais longos em que somos deixados sozinhos com nossos pensamentos. Além disso, meu lugar para expressar minha dor e abrir meu coração - tem sido online... até agora. Mais e mais pessoas começaram a dizer coisas odiosas e que machucam. Comecei a receber mensagens e comentários que me deixaram fisicamente doente quando os li. É tão lamentável que as pessoas pensem que o sofrimento deve corresponder às suas diretrizes, que por meu filho ter morrido, não posso falar sobre ele."

  • Infelizmente, não bastasse ter de conviver com um sentimento de culpa e tristeza inimagináveis, ela ainda tem que se deparar com comentários cruéis e desumanos de pessoas que se acham no direito de julgá-la. Por conta disso, ela decidiu, por enquanto, não publicar mais nada sobre o assunto aberto ao público, apenas para seus amigos verem.

  • “Please learn from my world-shattering mistake,” Jordan DeRosier wrote. http://glbn.ca/HUgwkk

    Posted by Global News on Friday, July 7, 2017
  • Advertisement
  • Que essa história nos sirva de alerta

  • Embora ninguém esteja completamente livre de uma fatalidade, há coisas que podem e devem ser feitas para reduzir drasticamente as chances de que algo assim aconteça.

  • Para proteger seu bebê contra morte súbita por asfixia, os especialistas dão algumas recomendações importantes

    • O bebê deve dormir de barriga para cima, jamais de bruços.

    • Se o bebê tem refluxo, é preciso perguntar a um médico de sua confiança se a melhor posição é de lado, ou de barriga para cima com travesseiro ou colchão antirrefluxo. Ainda há divergência entre os médicos sobre a melhor posição neste caso.

    • O colchão do berço não pode ser muito macio (não pode afundar).

    • Evite coisas macias dentro do berço, como protetor de grades, travesseiro, cobertor, bichos de pelúcia; ou qualquer coisas que possa se enroscar no corpo do bebê, como cachecóis, lençóis mal encaixados, entre outros.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Compartilhe com seus amigos!

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.

Website: http://erikastrassburger.blogspot.com.br/

Após seu filho de 7 meses morrer asfixiado no berço, esta mãe implora para que outros pais não cometam o mesmo erro

"Sinto muita culpa. Nunca serei capaz de me livrar da sensação de que havia algo mais que eu poderia ter feito para evitar sua morte".
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr