Padrões de namoro: Por que são importantes?

Leve essas 12 considerações em conta para se proteger e proteger a pessoa amada e ser feliz em seu relacionamento no futuro.

Erika Strassburger

Ao lerem este artigo, não pensem que sou moralista ou preconceituosa. Longe disso. Como mãe e cidadã consciente, estou mesmo é preocupada com os rumos que a humanidade decidiu tomar. E quero, obviamente, proteger meus filhos de um futuro desastroso.

Diariamente somos bombardeados com imagens e notícias alarmantes que envolvem crianças e adolescentes: prostituição infantil, abuso sexual, gravidez na adolescência, crianças perdendo a pureza cada vez mais cedo, músicas que levam crianças e jovens a dançarem como se estivessem em um ritual de acasalamento. Uma realidade chocante, pelo menos para mim, pois as crianças e jovens são o nosso futuro. Sendo elas o futuro, o que o futuro nos reserva?

Vivemos na geração da complacência. Praticamente tudo é permitido em se tratando de expressão do “amor”. A sociedade faz vistas grossas a muitas atitudes dos jovens, com medo de ser tachada de retrógrada ou repressora. As consequências estão aí para todo mundo ver.

Embora tudo em volta pareça estar em caos, como pais podemos contribuir profundamente para que uma linda história pessoal e familiar seja escrita, a despeito do rumo que a humanidade decida tomar. Somos, na verdade, donos do nosso próprio destino.

Alguns pontos fundamentais que dizem respeito aos padrões de namoro:

  • A atração entre homem e mulher é algo natural e divino. Não há porque censurar ou se envergonhar de tais sentimentos.

    Advertisement
  • Mas é preciso maturidade para assumir um namoro firme. Um jovem com menos de 16 anos não está pronto para embarcar em um relacionamento como este.

  • O beijo na boca deve ser reservado para alguém muito especial e não deve ser oferecido a qualquer um por diversão.

  • Tudo tem seu tempo. Os adolescentes precisam aproveitar sua juventude, sair com os amigos para se divertir. E não se privar das oportunidades que certamente virão de conhecer várias pessoas (entre as quais poderá estar um ótimo pretendente) por estar namorando precocemente.

  • Namoros precoces tendem a não só não dar certo, como podem acabar em gravidez indesejada. Justamente por não serem maduros o suficiente para lidar com os sentimentos.

  • Manter a virtude é a melhor decisão que um jovem pode tomar na vida. Estudos realizados nos Estados Unidos indicam que os casamentos mais estáveis e felizes são formados por pessoas que decidiram aguardar até a lua de mel para ter relações sexuais.

    Advertisement
  • A fim de preservar a pureza sexual, os jovens, quando já têm idade suficiente para namorar firme, precisam saber que não podem estimular sensações físicas em si mesmos e no outro sem que isso acarrete em sérias consequências.

  • A forma como eles se vestem e se comportam pode comprometer seu relacionamento. O recato é uma proteção para o namoro.

  • Um bom padrão de namoro é aquele em que o casal de namorados age quando está a sós da mesma forma que agiria na frente dos seus pais.

  • As atividades salutares (cinema, passeios, caminhadas, esporte, entre outros) proporcionam ao casal a oportunidade de se conhecer melhor, trocar ideias e compartilhar sentimentos e expectativas.

Como meio de promover um namoro sadio, o casal de namorados deve ser instruído a evitar coisas como:

  • Ficar sozinhos em casa, trancados no quarto, no carro ou em qualquer lugar para namorar.

    Advertisement
  • Deitar juntos ou um sobre o outro, ou tocar as partes íntimas do corpo do outro.

  • Viajar sozinhos.

  • Beijos muito apaixonados que despertam emoções e desejos.

  • Assistir programas, filmes ou acessar conteúdos com teor sexual.

  • Ter conversas que podem acabar gerando excitação.

    Advertisement

Manter o namoro nos padrões elevados traz muitos benefícios para o casal agora e, principalmente, no futuro, tais como:

  • Autocontrole

  • Confiança mútua

  • Respeito

  • Lealdade

  • Felicidade conjugal

    Advertisement
  • Romantismo

Lamento muito por não ter recebido instruções desse tipo dos meus pais quando eu era jovem. Mas alegro-me imensamente pelo sagrado privilégio que tenho de ensinar tais valores aos meus filhos. É uma responsabilidade da qual nós, pais, não podemos nos esquivar.

Se não transmitirmos informações tão preciosas e elevadas como essas aos nossos filhos, o mundo tratará de ensiná-los conceitos errôneos e ignóbeis. Não deixe que o mundo diga o que é melhor para seus filhos. E não permita que eles acabem colhendo frutos indesejáveis por decisões que tomaram às cegas. Seja uma luz para eles.

Toma un momento para compartir ...

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.