Mãe de 103 anos volta a cuidar de filho de 75 diagnosticado com câncer

O maior medo de Margaret era que ela própria pudesse adoecer e ficar impossibilitada de cuidar do filho.

Stael Ferreira Pedrosa

É o curso natural da vida, nascer, crescer, ter filhos, morrer. Os pais cuidam dos filhos enquanto são pequenos e quando os pais se tornam velhinhos, os filhos passam a cuidar dos pais.

Mas, nem sempre a vida corre por esse percurso, e nos últimos meses parece que as coisas estão se invertendo. Dois casos em que pais e filhos subvertem esta ordem estão repercutindo nas redes sociais:

Margareth e Richard

Um caso tocante é o de Margaret Gilbert, atualmente com 103 anos e mãe de Richard, de 75 anos, que foi diagnosticado com câncer. Segundo a BBC Brasil, os dois sempre moraram juntos e ele era quem cuidava dela.

No entanto, com a doença os papéis se inverteram e Margareth passou a ser cuidadora do próprio filho aos 102 anos de idade e com todas as dificuldades que a idade avançada traz.

A bela senhora de profundos olhos azuis e cabelo de algodão conta que foi muito difícil, inclusive certa vez Richard caiu da cama e ela teve que pedir ajuda aos vizinhos a 1 hora da manhã, pois mesmo fazendo um esforço terrível, não conseguiu levantá-lo.

Advertisement

Ela conta que “uma vizinha muito gentil, veio aqui a 1 hora da manhã e me ajudou.”

O maior medo de Margaret era que ela própria pudesse adoecer e ficar impossibilitada de cuidar do filho. “Eu prefiro colocá-lo para descansar enquanto ainda estou aqui, do que deixá-lo para trás, sozinho. Sei que isso não soa natural para uma mãe dizer, soa? Mas é como me sinto.”

Richard veio a falecer algum tempo depois em um lar para idosos. “Eu sinto muito a falta dele”, diz Margaret. “Eu ter vivido tanto tempo… É um sentimento estranho, na verdade”, afirma.

"Me having lived so long – I can't understand why".

How does it feel to be 103 and caring for your own son? Watch Margaret's story here. More tonight in Life at 100 on Panorama, BBCOne, 8.30pm.

Advertisement

Posted by BBC Panorama on Monday, October 23, 2017

Ada e Tom

Comovente também é o caso de Ada Keating, de 98 anos, que se mudou para a casa de repouso em que seu filho mais velho, Tom, de 80 anos, vive desde 2016, em Huyton, perto de Liverpool, na Inglaterra, para cuidar do seu “bebê”, como ela diz.

Tom diz que sua mãe é exemplar e que não perde a oportunidade de lhe dizer para se comportar. Os dois vivem agora inseparáveis na casa de repouso de Moss View, jogando e assistindo à TV.

Ada, formada em auxiliar de enfermaria, “coloca” Tom na cama todas noites e dá um bom dia alegre em todas as manhãs.

Estas mães e seus filhos mostram uma relação maternal amorosa e mostram que pais e filhos envelhecem juntos – e o amor e o apoio mútuo dão à vida um novo significado.

Advertisement
Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.