6 coisas ASSUSTADORAS que costumam acontecer na vida de quem trai

Será que vale a pena pagar um preço tão alto por momentos de prazer irresponsável?

Erika Strassburger

Muitas pessoas que traem não estão dispostas a avaliar os riscos de suas escolhas, só querem aproveitar o momento. Mas, o fato é que as consequências vêm e elas só se darão conta da gravidade de seu erro quando coisas assim começarem a acontecer:

1. Contrair uma DST

Uma pessoa que se apaixonou fora do casamento dificilmente consegue raciocinar direito. E entre tantos erros que comete, está o de não se proteger. Sexo sem proteção pode, entre outras coisas, trazer uma “bela” DST (doença sexualmente transmissível). E, pior de tudo, pode transmitir essa doença ao cônjuge.

2. Um filho indesejado

Além da DST, outro risco é ter um filho não programado. Quando uma pessoa tem um filho com outra pessoa que não seja seu cônjuge, seu mundo cai. Seu cônjuge fica revoltado, inclusive seus filhos e seus pais. E esse pobre bebê vem ao mundo na pior circunstância possível. Toda criança merece nascer em um lar bem estruturado, de pais que se amam, e não como fruto de um ato irresponsável, em que muitos saíram feridos.

3. Desrespeito, principalmente por si mesmo

A pessoa que trai seu cônjuge acaba perdendo o respeito das pessoas que ela mais ama e admira, principalmente de seus filhos. E, possivelmente, perderá o respeito por si mesma. Mas o arrependimento sincero traz de volta o amor-próprio e o desejo de recomeçar e jamais ceder a esse tipo de tentação novamente.

4. Uma vida fora dos eixos

Causar o término de um casamento devido a uma traição, ou traições reincidentes, leva o indivíduo a uma vida fora dos eixos, à perda da paz. Ele sente-se perdido, já não tem mais uma vida tão produtiva como antes, em várias áreas da vida. Possivelmente, apenas quando colocar sua vida em ordem, fazendo cessar completamente as traições, e tentando restituir – na medida do possível – todo o mal que causou; só assim conseguirá encontrar-se novamente.

Advertisement

5. Sentimento de culpa

A não ser que se trate de algum transtorno (como, por exemplo, psicopatia), é muito raro encontrar uma pessoa que tenha traído seu cônjuge e, consequentemente, ferido profundamente o sentimento dos seus filhos, que não se sinta mal, envergonhada pelo que fez. É um peso que ela terá que levar a vida toda, exceto que tente se redimir pelo que fez. Novamente, o arrependimento é a saída.

6. Uma revanche da vida

Uma traição pode ser perdoada e o casamento pode voltar a ser como era antes, caso ambos entrem em um acordo e cumpram, cada um, a sua parte. Mas continuar nessa vida de traições pode trazer consequências bem tristes. A famosa “lei da colheita” dificilmente costuma falhar. Se quisermos ser recompensados com algo bom, precisamos plantar coisas boas. O inverso é tanto quanto verdadeiro.

A maioria dessas coisas, que vem como resultado de uma traição, produz muito sofrimento, principalmente a longo prazo. Será que vale mesmo a pena pagar um preço tão alto por momentos de prazer? Vale a pena jogar tudo fora por um relacionamento destinado ao fracasso? Estou convicta de que não!

A boa notícia é que é possível abandonar essa vida e buscar arrepender-se sinceramente. Na medida do possível, corrigir os erros cometidos e comprometer-se a jamais voltar a trair. Na verdade, será requerida uma mudança de coração – uma plena aversão a esse erro, o adultério. Isso possibilitará que a pessoa volte a provar a verdadeira felicidade (afinal, “iniquidade nunca foi felicidade”) e irá poupá-la de muitos infortúnios nesta vida e no porvir. Não se pode desperdiçar uma chance como essa!

Abaixo estão alguns CONSELHOS IMPORTANTES para quem se envolve em casos extraconjugais ou com pessoas casadas:

Advertisement
Toma un momento para compartir ...

Erika Strassburger

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.