10 habilidades essenciais para os casais lidarem com o estresse

Quando surgem os problemas e o estresse toma conta, os casamentos podem ficar em risco. Como evitar que isso aconteça com o seu casamento?

Stael Ferreira Pedrosa

Que todo casamento tem altos e baixos os casais já sabem. Sabem também que o estresse pode vir de várias fontes, tais como problemas financeiros, de saúde ou da rotina diária. O que geralmente os casais não sabem é que a melhor maneira de lutar contra o estresse da vida e do relacionamento é desenvolver habilidades tais como união, aceitação e compaixão entre outras e jamais cair na armadilha de culpar um ao outro.

Como evitar que o estresse destrua seu casamento

Barbara Markway, doutora em psicologia com mais de vinte anos de experiência e autora de livros sobre relacionamento, aconselha os casais a desenvolverem 10 habilidades para lidarem com o estresse e permanecerem juntos:

1. Aceitação

Aceitação não é sinônimo de aprovação. Você pode não aprovar a situação, mas a aceitação pode criar uma pausa para que o casal se situe e perceba que nem todos os problemas têm solução, ou pelo menos não têm uma solução simples senão vocês a teriam encontrado.

2. União

União significa parceria mesmo em momentos de crise. A união não busca culpados, busca soluções. Enfrentar as crises juntos fortalece a união ainda que ambos permaneçam sobrecarregados. A Dra. Bárbara sugere fazer o que ela e o marido fazem: Expressar seu desejo de estar com o outro embora não possam no momento. Um sms dizendo: Gostaria de estar com você agora e segurar sua mão tem ótimo efeito no ânimo do seu par.

Advertisement

10 sugestões para renovar os votos de amor e união no casamento

3. Foco correto

Foquem no problema e não um no outro. Algumas vezes os casais enfrentam situações em que não podem buscar a ajuda um no outro. Nesse caso o melhor é focar no problema e na solução melhor para ambos, como no caso de ambos adoecerem, ou outro revés.

4. Buscar recursos

Busquem ajuda de terceiros quando não puderem resolver o problema. Como no caso de estarem ambos doentes, peçam ajuda de um parente para cuidar de vocês, das crianças (se houver), da casa e deixem claro que gostariam de cuidar um do outro, mas que não podem.

5. Flexibilidade

Embora existam boas razões para se ter posições rígidas, muitas vezes em momentos de estresse é bom ser flexível. Tarefas e regras a serem cumpridas não são mais importantes que pessoas a serem amadas e compreendidas.

6. Tolerância

Ninguém reage da mesma maneira diante de desafios estressantes, não há reação certa ou errada. Algumas pessoas preferem se recolher e chorar, outras fazer uma caminhada ou ver TV. Por isso, seja tolerante com seu par e em sua maneira de reagir, sem cobranças.

Advertisement

4 lições que aprendi com o casamento

7. Cultivar o humor

Se as coisas já estão ruins, rir um pouco não vai piorar nada e pode até dar-lhes renovado ânimo para reagir aos altos e baixos. Uma frase espirituosa ou piada sobre a situação (se couber) pode desestressar e abrir o caminho para um diálogo produtivo.

8. Priorizar

Estabeleçam o que deve ser feito no momento e o que pode esperar até que as coisas voltem ao normal. Tenha certeza de que você e seu parceiro estão se cuidando, se alimentando e tendo sono de qualidade enquanto lidam com o problema presente. Vocês não vão querer adicionar problemas de saúde aos problemas que já se apresentam.

9. Constância

Se a questão estressante não é ligada ao relacionamento, evitem no momento discutir problemas conjugais. Apenas continuem a apoiar um ao outro e estejam próximos. Mostrem o apoio através de pequenos atos de afeição e bondade.

10. Praticar a compaixão

Compaixão é presumir o melhor do outro. É compartilhar a dor um do outro e abster-se de julgamentos. Presuma que tanto você quanto seu parceiro estão fazendo o melhor que podem naquele momento e naquela circunstância.

Advertisement

4 atitudes essenciais para construir um casamento sólido

Toma un momento para compartir ...

Stael Ferreira Pedrosa

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.